Novo Coronavírus

Saúde Campanha de testagem contra covid será lançada nesta quinta

Campanha de testagem contra covid será lançada nesta quinta

Testes serão oferecidos em postos de saúde e também dirigidos a grupos de risco; estimativa é realizar 20 milhões de testes por mês

  • Saúde | Flavio Moraes, da Record TV Brasília

O teste rápido detecta a covid-19 nos primeiros dias da infecção

O teste rápido detecta a covid-19 nos primeiros dias da infecção

Laurent Gillieron/EFE/EPA - 09.11.2020

O ministro da Saúde Marcelo Queiroga afirmou, durante audiência pública na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (26), que a pasta pretende lançar, na quinta-feira (27), uma campanha nacional de testagem para detectar o novo coronavírus. “O Brasil testa pouco. Nosso objetivo é testar de 10 a 20 milhões de brasileiros por mês”.

Segundo o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Otávio Moreira da Cruz, a campanha vai seguir diferentes linhas de ação. Uma delas será o teste aplicado em postos de saúde em pessoas que apresentam sintomas da covid-19; outra linha será o teste dirigido a grupos de risco, como motoristas de ônibus e professores.

Tratam-se de testes rápidos de antígenos, capazes de detectar a covid-19 nos primeiros dias de infecção. Caso o resultado seja positivo, as pessoas que tiveram contato com os infectados também passarão pelos testes. 

O ministro também foi questionado pelos parlamentares sobre a CPI da Covid e ressaltou que é uma iniciativa do parlamento brasileiro com objetivo de tentar ajudar no esclarecimento dos fatos. “Não cabe a mim apontar erros, cabe olhar para frente e tentar buscar formas efetivas de dar concretude às políticas públicas que podem tirar o Brasil dessa situação de pandemia”.

Queiroga também abordou uma possível terceira onda da covid-19. Ele afirmou que é possível que seja adotada alguma medida restritiva, mas que isso ficará a cargo das autoridades sanitárias municipais "pelo caráter continental do país". Mas ressaltou que o ministério deve monitorar a situação. 

Últimas