Saúde Campanha de vacinação contra a raiva começa nesta segunda em SP

Campanha de vacinação contra a raiva começa nesta segunda em SP

A doença é causada por vírus e transmitida por mordida, arranhões ou lambedura de mamíferos infectados; vacinação é gratuita e obrigatória por lei

Campanha de vacinação contra raiva começa segunda-feira (20) em São Paulo

Foco da campanha é a vacinação de cães e gatos domésticos

Foco da campanha é a vacinação de cães e gatos domésticos

Web Cachorros

A Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo divulgou nesta terça-feira (14) que a campanha de vacinação contra a raiva na cidade terá início na próxima segunda-feira (20). A vacinação é gratuita e obrigatória e vai até 2 de setembro.

A doença é causada por um vírus e transmitida pelo contato direto por meio de mordida, arranhões ou lambedura de cães e gatos e outros mamíferos infectados, como morcegos.

Leia também: Raiva humana já deixou 12 pessoas mortas no PA; SP está em alerta

A vacinação é focada em animais domésticos. A Secretaria informa que haverá mais de 1.900 postos de atendimento, fixos e volantes, distribuídos pela cidade, com horário de atendimento entre 10h e 16h.

“A imunização anual é a mais eficaz e importante medida de prevenção e controle da doença”, afirmou a Secretaria por meio de nota.

A pasta orienta sobre o transporte correto do bicho de estimação para a vacinação. Cães devem usar coleira e guia e gatos devem ser levados em caixas de transporte apropriadas para evitar fugas e acidentes.

Todos os animais com mais de 3 meses de idade devem ser vacinados, exceto os doentes. Entre as enfermidades estão diarreia, secreção ocular ou nasal, falta de apetite, além de convalescentes de cirurgias.

Leia também: Raiva no Pará é acidente e não surto, diz infectologista

A recomendação para cadelas prenhes, apesar de não haver contraindicação, segundo a secretaria, é que o proprietário vacine o animal fora da campanha devido ao risco no transporte e manejo.

“Bichos no cio também podem causar transtornos nos postos volantes, por isso, é indicado que se procure por um dos postos fixos de vacinação”, afirma a Secretaria.

O proprietário deverá identificar, no comprovante de vacinação, os dados do animal, como nome e nº do Registro Geral Animal (RGA). “É importante destacar que somente adultos com condições de conter os animais devem conduzi-los ao local de vacinação, para evitar possíveis transtornos”, ressalta a pasta.