Novo Coronavírus

Saúde Cardíacos representam 61% do total de mortes por covid-19 no Brasil 

Cardíacos representam 61% do total de mortes por covid-19 no Brasil 

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), pessoas com doenças crônicas têm mais chances de desenvolverem complicações pelo novo vírus

  • Saúde | Christina Lemos, da Record TV Brasília e Ricardo Cruz, do R7

Ministério da Saúde prevê aumento de casos nos próximos 20 dias

Ministério da Saúde prevê aumento de casos nos próximos 20 dias

HEULER ANDREY/DIA ESPORTIVO/ESTADÃO CONTEÚDO

Pessoas com doenças cardíacas representam 61% do total de mortes provocadas pela covid-19 no Brasil até o momento. As informações são do SIVEP-Gripe (Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe), do Ministério da Saúde, e contabilizam apenas os casos inseridos no sistema até esta quinta-feira (26). 

Portadores de diabetes aparecem na sequência e já são 39% das vítimas fatais da doença (22 mortes). Pacientes com quadro de pneumomia, 25,4%. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), essas pessoas têm mais chances de desenvolverem complicações por causa do novo vírus. 

Distribuição de óbitos por covid-19

Cardiopatia: 61%
Diabetes: 39%
Pneumonia: 25,4%
Doença renal crônica: 15,3%
Imunodepressão: 11,9%

A maior incidência de mortes está entre os homens, que correspondem por 67,8% dos óbitos, enquanto que as mulheres 32,2%. 

Os idosos entre 70 e 89 anos são 72,9% das vítimas fatais, enquanto que ainda não há registro de morte entre pessoas abaixo de 30 anos de idade no país. 

O número de casos confirmados e mortes por coronavírus no Brasil devem continuar crescendo diariamente nos próximos 20 dias. É o que disse João Gabbardo, secretário-executivo do Ministério da Saúde, durante entrevista coletiva nesta quinta-feira (26). 

De acordo com o representante da pasta, a epidemia tem se coportado de modo que isso já era esperado pelas autoridades de saúde. 

"Nós vamos ter de agora para frente, quase que diariamente, um número de casos novos superior ao número de casos novos do dia anterior. É bem provável que nós tenhamos daqui para frente um número de óbitos maior que o número de óbitos do dia anterior", comentou o secretário Gabbardo.

Grupos de risco

Pessoas com mais de 60 anos integram o chamado grupo de risco

Pessoas com mais de 60 anos integram o chamado grupo de risco

Alexandros Avramidis / Reuters - 26.2.2020

O avanço da epidemia de covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus SARS-CoV2) no Brasil impõe a necessidade de isolamento social e cuidados adicionais aos chamados grupos de risco (portadores de doenças crônicas, idosos e imunossuprimidas)

Uma vez infectadas, essas pessoas têm mais chances de desenvolverem complicações. As taxas de letalidade da covid-19 entre indivíduos com comorbidades (doenças de base) são mais altas do que a média.

Coronavírus no Brasil

Um mês desde que foi registrado o primeiro caso de covid-19 no Brasil, o país contabiliza nesta quinta-feira (26) 77 mortes de pessoas infectadas pelo novo vírus em todas as regiões. O número de casos confirmados chegou a 2.915.

Ontem, eram 57 óbitos e 2.433 casos confirmados.

Nas últimas 24 horas, foram notificados 480 novos casos e 20 mortes.

Arte/R7

Últimas