Carlos Wizard diz que não vai mais contribuir com Ministério da Saúde

Empresário afirma que vai recusar o convite para assumir a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos da pasta

Wizard vai recusar convite do ministro Pazuello

Wizard vai recusar convite do ministro Pazuello

Reprodução/Facebook

O empresário Carlos Wizard, fundador de uma rede de escolas de inglês, afirmou neste domingo (7) que não vai mais contribuir com o Ministério da Saúde.

Em nota, Wizard agradeceu o convite feito pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para assumir a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos da pasta, mas relata que vai seguir com suas ações pessoais.

"Decidi não aceitar [o convite] para continuar me dedicando de forma solidária e independente aos trabalhos sociais que iniciei em 2018 em Roraima", disse Wizard. 

Leia mais: Conselho de Secretários de Saúde repudia falas de Wizard

Assim que foi sondado para o cargo, Wizard disse que os dados sobre a pandemia de covid-19 estão sendo manipulados pelos secretários de Saúde para conseguir mais verbas federais. A acusação foi repudiada por entidades médicas.. 

Na nota, o empresário ainda se desculpou por qualquer ato ou declaração "que tenha sido interpretada como desrespeito aos familiares das vítimas da covid-19 ou profissionais de saúde que assumiram a nobre missão de salvar vidas".

A secretária que seria assumida por Wizard é considerada estratégica no Ministério da Saúde por coordenar parcerias com a iniciativa privada para fabricação de medicamentos e outros insumos. O órgão também analisa qual produto pode passar a ser ofertado no SUS (Sistema Único de Saúde), um dos maiores mercados de medicamentos do mundo.

Leia a nota na íntegra:

"Informo que hoje (7/junho) deixo de atuar como Conselheiro do Ministério da Saúde, na condição pro bono. Além disso, recebi o convite para assumir a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos da pasta. Agradeço ao ministro Eduardo Pazuello pela confiança, porém decidi não aceitar para continuar me dedicando de forma solidária e independente aos trabalhos sociais que iniciei em 2018 em Roraima.

Peço desculpas por qualquer ato ou declaração de minha autoria que tenha sido interpretada como desrespeito aos familiares das vítimas da Covid-19 ou profissionais de saúde que assumiram a nobre missão de salvar vidas.

Carlos Wizard Martins"