Coronavírus

Saúde Casos de covid-19 cresceram mais de 500% entre jovens, diz Fiocruz

Casos de covid-19 cresceram mais de 500% entre jovens, diz Fiocruz

Boletim divulgado nesta sexta-feira (26) mostra aumento da doença entre brasileiros com idades de 30 a 59 anos

  • Saúde | Do R7

Nesta semana o Brasil ultrapassou a marca de 300 mil mortes por covid-19

Nesta semana o Brasil ultrapassou a marca de 300 mil mortes por covid-19

Amanda Perobelli/Reuters - 24.03.2021

Casos de covid-19 entre pessoas com idades de 30 a 59 anos cresceram mais de 500% desde o começo do ano no Brasil, segundo o boletim do Observatório Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) divulgado nesta sexta-feira (26).

De acordo com as informações, o número de casos diagnosticados entre a faixa etária de 30 a 39 anos cresceu 565,08%, já entre as pessoas com idades de 40 a 49 anos o aumento foi de 626% e de 525,93% entre as de 50 a 59 anos. Os dados dizem respeito à Semana Epidemiológica 1 de 2021 até a 10 (7 a 13 de março). 

Em relação ao número de mortes no mesmo período o aumento é menos expressivo: 352,62% entre faixa de 30 a 39 anos, 419,23% para a faixa de 40 a 49 anos e de 317,08% para a faixa de 50 a 59 anos. Mortalidade continua concentrada entre pessoas mais velhas.

Os pesquisadores da Fiocruz ressaltam que o crescimento na procura dos serviços de saúde por pacientes jovens sintomáticos começou a ser observado desde o início da segunda onda da pandemia, entre 8 a 14 de novembro do ano passado.

Segundo a Fiocruz, a mudança no perfil de pessoas acometidas pela doença é inicial, mas contribui para o cenário de colapso do sistema de saúde do país. “Por se tratar de população com menos comorbidades – e, portanto, com evolução mais lenta dos casos graves e fatais, [jovens] demandam frequentemente uma permanência por maior tempo em internação em terapia intensiva”, diz o boletim.

A Fiocruz voltou a destacar a importância de medidas como o lockdown e a aceleração da vacinação para conter o avanço da pandemia. “O ritmo lento em que se encontra a vacinação contribui para prolongar a duração da pandemia e da adoção intermitente de medidas de contenção e mitigação”, ressaltam os pesquisadores responsáveis pelo boletim.

Últimas