Novo Coronavírus

Saúde Chile aprova uso emergencial de vacina da Pfizer contra covid

Chile aprova uso emergencial de vacina da Pfizer contra covid

Com decisão de agência reguladora, país se torna o primeiro da América do Sul a liberar imunizante contra o coronavírus

Reuters - Internacional
Governo chileno tem acordo com a Pfizer para compra de doses da vacina

Governo chileno tem acordo com a Pfizer para compra de doses da vacina

Brian Snyder/Reuters

A agência reguladora de saúde do Chile informou, nesta quarta-feira (16), que aprovou o uso emergencial da vacina contra covid-19 desenvolvida pela Pfizer, e que o imunizante poderá ser administrado a pessoas de mais de 16 anos no país.

O ISP (Instituto de Saúde Pública) recebeu a solicitação no dia 27 de novembro e pediu que uma comissão de especialistas analisasse os antecedentes apresentados pela farmacêutica, que conduziu o processo quase paralelamente à sua avaliação nos Estados Unidos.

"Esta resolução será probatória com certos aspectos de controle, e à medida que formos avançando e vendo que há maiores antecedentes vamos poder ir ampliando-a", disse Heriberto García, diretor do ISP, durante a sessão.

Com isso, o Chile se torna o primeiro país da América do Sul a autorizar o uso emergencial de uma vacina contra a covid-19.

"Há toda uma análise importante com respeito a como vamos fazer os estudos e análise de risco e a farmacovigilância para justamente tranquilizar a população com respeito a qualquer situação que o justifique", acrescentou.

A vacina da Pfizer é uma daquelas com as quais o governo chileno firmou contratos para garantir um acesso caso sua eficiência seja comprovada.

O imunizante já está sendo aplicado, de forma emergencial, em países como Reino Unido, EUA e Canadá.

No final de semana, o ministro da Saúde, Enrique Paris, disse que o país está preparado logisticamente para começar a aplicar a vacina contra coronavírus da Pfizer assim que ela estiver aprovada e disponível.

O Chile soma 576.731 casos e 15.959 mortos da doença.

Últimas