Cingapura testará anticorpos contra a covid-19 em seres humanos

Atualmente estão em desenvolvimento pelo menos 124 vacinas para a doença, segundo a OMS, e uma dúzia delas já estão na fase de exames clínicos

Anticorpo TY027 pode acelerar recuperação do doente

Anticorpo TY027 pode acelerar recuperação do doente

Pixabay

Cingapura começará na próxima semana a primeira fase de um teste clínico em humanos de um tratamento de anticorpos contra a covid-19, pandemia que já matou mais de 400 mil pessoas em todo o mundo.

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

Em um comunicado, o farmacêutico cingapuriano Tychan, criador do tratamento, disse que o estudo será realizado no centro de pesquisa médica SingHealth e levará cerca de seis semanas para avaliar a segurança e a tolerância em humanos.

Os cientistas esperam que o anticorpo, identificado como TY027, possa retardar a progressão da doença e acelerar a recuperação, enquanto fornece proteção temporária contra infecções causadas pelo coronavírus SARS-CoV-2.

Se essa primeira fase for aprovada com êxito, a Tychan solicitará autorização para realizar um ensaio clínico mais extenso.

Até agora, nenhum tratamento com anticorpo ou vacina para o novo coronavírus foi desenvolvido no mundo, disse a empresa farmacêutica, de propriedade da Temasek, o braço de investimentos estatais de Cingapura.

O presidente do conselho de administração da empresa, Teo Ming Kian, afirmou que, embora levem meses para se saber se o tratamento é eficaz, eles estão otimistas com a experiência que têm de outros anticorpos que desenvolveram no passado contra o zika e febre amarela.

"O que queremos não é apenas ajudar as pessoas a evitar os efeitos devastadores da covid-19, mas nos preparar melhor para o próximo infeliz surto de uma doença infecciosa a partir das lições do desenvolvimento de terapias contra cada surto."

Atualmente estão em desenvolvimento pelo menos 124 vacinas para a doença causada pelo novo coronavírus, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), e pelo menos uma dúzia delas já estão na fase de testes clínicos.

As principais empresas farmacêuticas que trabalham no desenvolvimento de vacinas contra o coronavírus se comprometeram a não buscar lucro com a descoberta.

No total, mais de 7,2 milhões de casos de coronavírus foram registrados no mundo, segundo a OMS, com 412.583 mortes confirmadas por esta organização.