Saúde bucal

Saúde Clareamento com produtos naturais desgasta e mancha os dentes

Clareamento com produtos naturais desgasta e mancha os dentes

Conselho de Odontologia tem recebido muitas dúvidas sobre o tema; pessoas têm usado morango, casca de banana e carvão ativado, o que é um risco

  • Saúde | Brenda Marques, do R7

Casca de banana tem sido usada na tentativa de clarear dentes

Casca de banana tem sido usada na tentativa de clarear dentes

Pixabay

O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP)  tem recebido muitas dúvidas sobre clareamento dental e problemas relacionados a ele.

Algumas pessoas estão tentando fazer o procedimento em casa, sem qualquer orientação de um dentista, usando produtos que são naturais, mas podem prejudicar a saúde bucal e, ao contrário do esperado, provocar desgaste e manchas nos dentes.

"Tem pessoa esfregando morango nos dentes, casca de banana, carvão ativado e outras bizarrices. Eles falam que é clareamento caseiro, orgânico, natural, mas isso está destruindo os dentes das pessoas", destaca Sérgio Brossi Botta, cirurgião-dentista e presidente da Câmara Técnica Dentística do CROSP.

O dentista explica que o morango e a casca de banana possuem ácido málico, componente que leva à perda da estrutura dental. "Ele vai clarear, mas também vai provocar uma erosão ácida no dente. Isso o deixa mais sensível, causando dores quando em contato com o frio", explica.

O carvão ativado é outro exemplo de material com efeito danoso e ilusório, pois só remove manchas superficiais. Além disso, se usado com frequência, deixa os dentes ásperos, algo que faz com que as sujeiras grudem mais facilmente.

"Se você pegar um pouco de carvão e esfregar, você vai estar lixando o seu dente. A pessoa que tem 20 anos e escova os dentes com carvão todo dia, quando tiver 40 já perdeu metade da estrutura do dente", alerta.

Leia também: Escova de dentes pode trazer risco de contaminação por coronavírus

Botta acrescenta que esse desgaste acumulado ao longo dos anos deixa os dentes mais amarelos. Isso acontece porque eles possuem duas camadas. A externa é o esmalte, tem cerca de um milímetro e serve de proteção. Já a interna, chamada dentina, tem cor amarela.

Manchas que o clareamento não resolve

De acordo com ele. nãõ há problema em usar pastas que possuem carvão ativado em sua composiçao, porque elas já foram avaliadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). "Mas são coisas novas, que precisam ser estudadas, então não pode exagerar", pondera.

Uma pesquisa recente publicada no Britsh Dental Journal, inclusive, desaconselha o uso de pastas de dente à base de carvão, pois não há comprovação de que elas são benéficas. Os cientistas analisaram 50 tipos e concluíram que apenas 8% contém flúor, o que mostra uma proteção fraca contra cáries.

Clareamento pode ser ineficaz e contraindicado

Botta enfatiza que a consulta ao cirurgião-dentista é essencial para que o clareamento seja seguro e tenha sucesso, porque só assim é possível saber se o procedimento será eficaz e pode ser realizado.

"Existem diferentes tipos de manchas, as que são intrínsecas, causadas por exemplo pelo uso de antibióticos na infância e pelo hábito de ingerir a pasta de dente, não podem ser removidas com clareamento, nesse caso é necessária outra abordagem", afirma.

Já para pacientes com problemas na gengiva, cáries e infiltração dentária o clareamento é contraindicado. "Se a pessoa tem cárie e não sabe, o gel clareador vai entrar em contato com ela e causar uma dor que pode ser muito forte", ressalta. 

Leia também: Ansiedade e estresse podem ser prejudiciais para os seus dentes

O clareamento dental é feito com água oxigenada, que libera radicais de oxigênio. "O nosso dente fica escuro devido a moléculas de pigmento, aí o oxigênio penetra lá [no dente] e quebra essa cadeia de moléculas. Quanto menor a cadeia, menos pigmento e mais claro o dente vai ficando", detalha Botta.

Últimas