Saúde Comissão de Biossegurança dá sinal verde para vacina de Oxford

Comissão de Biossegurança dá sinal verde para vacina de Oxford

Por ser geneticamente modificado, imunizante requer autorização de órgão ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações

  • Saúde | Do R7

No Brasil, vacina Oxford/AstraZeneca será produzida pela Fiocruz

No Brasil, vacina Oxford/AstraZeneca será produzida pela Fiocruz

Gareth Fuller/PA Wire/Pool via Reuters

A CTNBio (Comissão Técnica Nacional em Biossegurança) aprovou nesta sexta-feira (15) a vacina contra covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, que será produzida no Brasil pela Fiocruz.

O órgão, ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, precisa avaliar todos os produtos geneticamente modificados, como é o caso desse imunizante.

O presidente da comissão, Paulo Barroso, explicou que essa aprovação é uma exigência legal, mas que nada tem a ver com a da Anvisa.

"Essa vacina sendo transgênica precisa passara também pela CTNBio, são legislações diferentes: uma legislação trabalha essa questão de organismo geneticamente modificado e outra legislação trabalha essa questão de vigilância sanitária."

Está marcada para domingo (17) a reunião da Diretoria Colegiada da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para decidir um pedido de uso emergencial da vacina de Oxford.

Na ocasião, serão avaliados critérios como efeitos colaterais e eficácia, algo que não compete à CTNBio, segundo ele.

A vacina de Oxford utiliza um adenovírus causador de resfriado comum em chimpanzés como vetor. Neste vírus, são colocados genes específicos do coronavírus (SARS-CoV-2) para induzir resposta imunológica específica.

Últimas