Novo Coronavírus

Saúde Comitiva irá a Israel sábado para comprar spray nasal contra covid

Comitiva irá a Israel sábado para comprar spray nasal contra covid

Ministro Ernesto Araújo será recebido pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. Medicamento atua em pacientes na UTI

  • Saúde | Do R7

Uma comitiva liderada pelo Ministro das Relações Ernesto Araújo vai viajar neste sábado (6) para Israel para assinar memorando de entendimento para trazer para o Brasil o spray nasal o EXO-CD24 (spray nasal). O objetivo é fazer com que a terceira fase de testes seja realizada com pacientes brasileiros.

Araújo será recebido pelo primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu. Na viagem, a delegação brasileira visitará o Ichilov Hospital, em Tel Aviv. O hospital já divulgou que o spray foi aplicado em 30 pacientes, com resultados positivos em 29 deles.

Ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo

Ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo

REUTERS/Adriano Machado-09/11/2020

Segundo o governo, o spray tem tido quase 100% em pessoas que está em estágio final de covid-19. Trata-se de uma proteína desenvolvida inicialmente para o tratamento de câncer, mas que acabou sendo testada em pacientes com covid-19. O estudo é considerado preliminar e não comparou a droga a um placebo.

O secretário de Comunicação Fabio Wajngarten iniciou as tratativas com o governo israelense. No Twitter, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) elogiou a iniciativa de Wajngarten. "Ele teve a proatividade de começar a colocar dentro do governo essas tratativas para colocar esses medicamentos para o Brasil", afirmou.

"Todo mundo que tem entrada com o presidente da República, se souber de algum remédio ou algum tratamento eficiente tem quase obrigação moral de informar ao presidente para tentar trazer para o Brasil." (veja abaixo):

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (3) que "dificilmente alguém vai se opor ao tratamento" com spray nasal contra covid-19. 

"As primeiras informações são as melhores possíveis. Vamos ver se a gente consegue assinar o acordo e começar a aplicar a terceira fase no Brasil. É para quem está em estado grave. Dificilmente alguém vai se opor ao tratamento", afirmou o presidente a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

Últimas