Coronavírus

Saúde Conselho de Ética autoriza testes da ButanVac em humanos

Conselho de Ética autoriza testes da ButanVac em humanos

Conep, do Ministério da Saúde, libera uso de voluntários em testes clínicos. Butantan espera liberação da Anvisa para iniciar pesquisa

  • Saúde | Do R7

 ButanVac é criada dentro de ovos embrionados

ButanVac é criada dentro de ovos embrionados

Alba Santandreau/EFE - 21.06.2021

O Conep (Conselho Nacional de Ética em Pesquisa) autorizou nesta quinta-feira que o Instituto Butantan e a Faculdade de Medicina da USP - Ribeirão Preto começem os testes em humanos da vacina ButanVac, o primeiro fármaco contra a covid-19 100% brasileiro. 

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou as análises clínicas no dia 9 de junho, mas ainda faltam algumas informações para começar as aplicações das doses nas pessoas inscritas.

A primeira fase dos testes será feita pelo Hospital das Clínicas de Ribeirão, com 418 voluntários, acima de 18 anos. Cerca de 94 mil pessoas manifestaram interesse em participar da pesquisa e realizaram o pré-cadastro.

Essa etapa tem o objetivo de confirmar a segurança e a dosagem ideal do imunizante. Os voluntários receberão duas doses do fármaco, com o intervalo de 28 dias entre eles. A previsão é que os primeiros resultados saiam em 17 semanas.  

De acordo com o Butantan, a primeira fase será a única que o Butantan vai comparar a ButanVac com placebo (produto sem efeito). As outras duas etapas os resultados serão confrontados aos efeitos causados pelas outras vacinas que estão em uso no Brasil.  

Como funciona a ButanVac?

A ButanVac começou a ser desenvolvida há um ano. Ela utiliza a mesma tecnologia da vacina da gripe, já fabricada pelo Butantan. O imunizante é feito a partir de um vírus de gripe aviária inativado, chamado Newcastle.

Esse vírus funciona como vetor para transportar a proteína Spike, que é por onde o coronavírus se liga às células humanas. Esse fragmento da proteína Spike instrui o corpo a induzir a resposta imune contra a covid-19.

A nova vacina usará a proteína da variante Gama, de acordo com o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, cepa do coronavírus predominante no país.

Assim como a vacina da gripe, a ButanVac é criada dentro de ovos embrionados, não havendo necessidade de insumos importados. O número e intervalo das doses serão definidos após o fim dos testes clínicos.

Últimas