Coronavírus

Saúde Coronavírus: pesquisadores criam teste mais rápido que os atuais 

Coronavírus: pesquisadores criam teste mais rápido que os atuais 

Cientistas da Universidade de Oxford afirmam que ele é três vezes mais rápido e mais simples de usar que os disponíveis 

  • Saúde | Do R7

Segundo pesquisadores novo teste também é mais simples de usar

Segundo pesquisadores novo teste também é mais simples de usar

Yuan Zheng / EFE-EPA - 4.2.2020

Pesquisadores da Universidade de Oxford desenvolveram um novo teste para o novo coronavírus que aponta o resultados três vezes mais rápidos que os diagnósticos atuais e é significativamente mais simples de usar. A notícia foi publicada no site especializado Royal Society of Chemistry.

- Tire suas dúvidas no especial do R7 sobre coronavírus -

De acordo com a publicação, os testes de RNA viral levam normalmente duas horas para produzir um resultado, contudo a nova tecnologia desenvolvida fornece resultados em apenas meia hora.

"A novidade deste novo teste está na detecção viral que pode reconhecer especificamente RNA e fragmentos de RNA Sars-CoV-2 (Covid-19)", explicou o biólogo e um dos líderes da equipe de Oxford, Wei Huang.

Huang disse que o novo diagnóstico tem checagens embutidas para se proteger contra falsos positivos ou negativos, e também disse que os resultados foram "altamente precisos" até agora.

Como a tecnologia é extremamente sensível, a equipe de Oxford diz que pode identificar pacientes nos estágios iniciais da infecção e, assim, reduzir potencialmente a propagação do Covid-19, classificada pela Organização Mundial da Saúde como uma pandemia no dia 11 de março.

Segundo a sociedade de química, o novo teste necessita apenas um bloco de calor simples que mantenha uma temperatura constante para a transcrição reversa do RNA e a amplificação do DNA, e o resultado pode ser lido a olho nu. O que facilitaria os exames em ambientes rurais ou em centros comunitários de saúde.

O novo diagnóstico foi validado com amostras clínicas da China. O hospital administrou os kits de detecção rápida em 16 amostras, incluindo 8 positivos e 8 negativos que foram confirmados pelos métodos convencionais de reação em cadeia da polimerase com transcrição reversa, além de outras evidências clínicas. O novo kit identificou com sucesso a partir das amostras que os pacientes foram diagnosticados com Covid-19.

Últimas