Coronavírus pode se tornar endêmico; saiba o que isso significa

Covid-19 pode se tornar doença endêmica e permanecer em meio à população, como hiv, gripe comum e sarampo

Covid-19 pode se tornar endêmica, segundo OMS

Covid-19 pode se tornar endêmica, segundo OMS

Pixabay

O diretor de Emergências de Saúde da OMS (Organização Mundial da Saúde), Mike Ryan, falou nesta quarta-feira (13) que o novo coronavírus pode se tornar endêmico e, portanto, "nunca ir embora".

Leia também: Quais são as diferenças entre os sintomas da dengue e da covid-19?

Tornar-se uma doença endêmica significa que a covid-19 pode ser mais uma das enfermidades que acometem a população e nunca desaparecem totalmente, como acontece com a gripe, o sarampo e até mesmo o hiv, causador da aids. Trata-se de uma situação diferente da gripe espanhola, que nunca mais se repetiu após ter causado uma pandemia no início do século 20.

Ryan disse, ainda, que é difícil projetar quanto tempo o novo coronavírus vai permanecer na sua atual circulação, já que estudos apontam que a porcentagem da população que se infectou ainda é relativamente baixa.

Uma doença pode ser classificada das seguintes formas:

Surto: Ocorre quando há um aumento repentino no número de casos de uma doença em uma região específica. 

Epidemia: Caracterizada pelo surgimento de surtos em diversas regiões. Sejam diversos bairros em um município, diversas cidades em um estado ou muitos estados de um país. 

Pandemia: Quando uma epidemia se espalha por diversas regiões do planeta, e é encontrada em continentes distintos, a situação passa a ser considerada uma pandemia.

Endemia: Não leva em conta o número de casos, mas, sim, a frequência ao longo do tempo. Uma doença é considerada endêmica quando ocorre por um período estendido em um mesmo local, podendo ser sazonal ou não. No Brasil, a febre amarela é considerada endêmica na região Norte, já a dengue é considerada endêmica em certos períodos do ano.

Máscaras contra covid-19: veja erros e acertos ao se proteger