Novo Coronavírus

Saúde Coronavírus se aproveita que o mundo está cansado, diz OMS

Coronavírus se aproveita que o mundo está cansado, diz OMS

Diretor-geral do órgão afirma que o mundo apresenta sintomas de cansaço no combate à covid-19, abrindo brecha para que a pandemia se expanda

  • Saúde | Da EFE

OMS afirmou que taxa de ocupações de UTI voltaram a crescer no mundo

OMS afirmou que taxa de ocupações de UTI voltaram a crescer no mundo

Pierre Albouy/Reuters

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse na segunda-feira (19) que o mundo apresenta sintomas de cansaço no combate à Covid-19, o que abre uma brecha para que a pandemia do novo coronavírus possa se expandir.

Leia também: EUA podem autorizar uso emergencial da vacina Moderna

"Há um certo cansaço, mas não podemos desistir. Porque, quando o fazemos, o coronavírus pode se espalhar em alta velocidade", ressaltou o chefe da OMS em entrevista coletiva na qual voltou a manifestar preocupação com o aumento de casos na Europa e na América do Norte.

Tedros afirmou que nestas regiões as taxas de ocupação de leitos e de unidades de terapia intensiva (UTIs) nos hospitais estão aumentando e que, embora os profissionais de saúde estejam mais preparados agora do que nos primeiros meses da pandemia, "a situação ainda é muito perigosa".

"É importante agora que todos os governos se concentrem em interromper as cadeias de transmissão", defendeu.

Para isso, Tedros reiterou a necessidade de identificar o máximo de casos de Covid-19 e colocar em quarentena os infectados e as pessoas com quem eles tiveram contato.

O diretor-geral da OMS acrescentou que é uma prioridade "proteger os profissionais da área de saúde e os grupos mais vulneráveis" nesta luta, que é "de longo prazo, mas na qual devemos tentar manter o nível de infecções baixo, garantindo que os serviços continuem e que as crianças possam continuar frequentando suas escolas".

"O inverno está chegando (no hemisfério norte) e com ele alguns meses que serão difíceis", alertou Tedros, que também recomendou que os sistemas de saúde garantam o fornecimento de oxigênio, dexametasona e outros itens essenciais para o tratar os pacientes em estado grave.

Ele também destacou que, neste momento, quando o mundo se aproxima da marca de 40 milhões de infecções pelo novo coronavírus, 184 países já aderiram à plataforma COVAX, para financiar pesquisas sobre vacinas contra a Covid-19 e a sua distribuição em todo o mundo.

Últimas