Coronavírus

Coronavírus Delta já domina testes de variantes feitos pelo Governo de Minas

Delta já domina testes de variantes feitos pelo Governo de Minas

Secretário diz que número de infecções pelo genoma deve crescer nas próximas semanas; Estado tem 101 casos e 2 mortes pela Delta

  • Coronavírus | Célio Ribeiro*, do R7

Secretário concedeu entrevista coletiva nesta quinta

Secretário concedeu entrevista coletiva nesta quinta

Reprodução / Record TV Minas

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, afirmou, nesta quinta-feira (26), que a variante Delta já é predominante nos resultados dos testes genômicos do coronavírus realizados no Estado.

Durante coletiva de imprensa na Cidade Administrativa, sede do governo estadual, na região Norte de Belo Horizonte, Baccheretti esclareceu que Minas realiza 200 exames semanais para diagnosticar a presença de variantes nos municípios. Segundo ele, a maioria dos testes recentes têm como resultado a variante Delta e a tendência é que a disseminação dessa variante cresça nas próximas semanas.

— Atualmente, temos 101 casos identificados e dois óbitos. Parte das amostras é coletada em pacientes reinfectados, onde o risco da presença de novas cepas é maior. Por isso, os resultados podem apresentar um aumento que, talvez, não é tão grande assim na realidade.

Vacinação

O secretário estadual de saúde anunciou, ainda, que o calendário de imunização do Estado passa a incluir, oficialmente, os adolescentes de 12 a 17 anos. O grupo será vacinado com doses da Pfizer, único imunizante autorizado para aplicação em menores de idade no país.

Segundo Baccheretti, a recomendação do Ministério da Saúde é que os adolescentes com comorbidades sejam atendidos logo após os maiores de 18 anos receberem, pelo menos, a primeira dose. Na sequência, serão imunizados os adolescentes sem comorbidades.

Apesar disso, alguns municípios devem começar a aplicar a terceira dose nos idosos logo após vacinarem todos os adultos. Baccheretti explicou que foram formadas "plataformas" de imunizantes e que esse esquema vai balizar a aplicação do reforço nos mais velhos.

— As plataformas são Coronavac, Astrazeneca/Janssen e Pfizer. Quem foi imunizado com uma vacina vai receber a terceira dose de uma outra fabricante. Essa etapa está prevista para começar em setembro, mas, aqueles municípios que já aplicaram a vacina em todos os idosos e tiverem doses sobrando, podem dar início à campanha de reforço.

A expectativa da Secretaria de Saúde é que Minas Gerais receba, em setembro, mais 7 milhões de doses da Pfizer. O número seria suficiente para iniciar a aplicação da primeira dose dos adolescentes e a campanha de reforço nos idosos.

Minas Consciente

As macrorregiões Nordeste e Triângulo do Norte avançaram para a ‘onda amarela’ do Minas Consciente, plano estadual que regulamenta o funcionamento do comércio durante a pandemia. Com isso, apenas o Triângulo do Sul, que saiu da ‘onda vermelha’ na semana passada, segue no nível intermediário de restrições. Baccheretti informou que o Estado registrou queda no número de internações e mortes, mas ressaltou a importância das medidas de distanciamento.

— O combate, até mesmo contra a Delta, continuam os mesmos: máscara, distanciamento e vacinação.

*​Estagiário do R7 sob a supervisão de Flávia Martins y Miguel.

Últimas