Empresas de internet garantem que não faltará conexão na quarentena

Empresas estão monitorando o uso das redes de acesso e transporte para garantir a segurança, a estabilidade e o funcionamento das mesmas

Acesso à internet deve se manter estável durante quarentena

Acesso à internet deve se manter estável durante quarentena

Pexels

Importante em tempos normais, a internet se tornou vital para muitos que passaram a trabalhar ou estudar de casa, durante o isolamento causado pela covid-19, além de servir de alento para aqueles que buscam alguma forma de entretenimento, em meio à quarentena.

Leia também: Consumidor pode pedir cancelamento de serviços sem ônus

O principal medo de muitos é que o aumento no tráfego diário na rede, com conferências em vídeo e streaming de filme, possa derrubar a conexão de alguns usuários em meio às obrigações do cotidiano.

Mas segundo o SindiTeleBrasil (Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal), as empresas de telecomunicação estão "envidando todos os esforços para manter a segurança, a estabilidade e o funcionamento das redes e, até o momento, não foram identificados registros de problemas".

Ainda de acordo com o órgão, os Centros de Gerência de Rede das empresas estão, permanentemente, monitorando o uso das redes e transporte para garantir a conectividade e acesso a serviços digitais.

"Esse monitoramento permite, se necessário, implementar rotinas de contingenciamento e redirecionamento de tráfego para suavizar eventuais situações de congestionamento".

Ainda que confirme que a capacidade das redes de telecomunicações não seja infinita, o sindicato reforça que "a atuação do setor de telecomunicações é estratégica e fundamental, neste momento de reclusão da população, e que as empresas necessitam seguir operando para minimizar os impactos na economia do país".

O órgão, representando também as empresas do setor, se coloca "à disposição do Governo Federal e da Anatel para detalhar e discutir novas medidas complementares que se fizerem necessárias e para colaborar com o Executivo Federal ou com eventuais Comitês e Grupos de Crise que porventura venham a ser criados".

Ainda que admita que estamos vivendo um cenário imprevisível, no qual temos que concentrar esforços na saúde das pessoas, o SindiTeleBrasil diz que sua prioridade é a "estabilidade da rede e a eficácia do atendimento compatível com a situação".