Coronavírus

Coronavírus Pacientes de Manaus internados com covid em MG recebem alta

Pacientes de Manaus internados com covid em MG recebem alta

Seis pessoas foram liberadas e retornam para o Amazonas ainda nesta quinta (28); outras 6 continuam internadas em Uberaba

  • Coronavírus | Célio Ribeiro*, do R7

Grupo vai voltar para Manaus ainda nesta quinta

Grupo vai voltar para Manaus ainda nesta quinta

Reprodução / André Soares / Uberaba

Seis pacientes vítimas da covid-19 que foram transferidos de Manaus para Uberaba, a 480 km de Belo Horizonte, receberam alta nesta quinta-feira (28).

O grupo estava internado no Hospital Regional José Alencar, que tinha reservado uma ala exclusiva para receber os pacientes vindos da capital do Amazonas. Agora, eles serão levados para Uberlândia, a 537 km da capital mineira, onde devem pegar um voo comercial para Campinas. Na sequência, embarcam em uma viagem de quase 4 horas até Manaus. O transporte será custeado pelo Ministério da Saúde.

No total, outros seis pacientes vindos do Amazonas continuam internados em leitos de terapia intensiva na cidade mineira. A reportagem entrou em contato com a unidade de saúde e com a Prefeitura de Uberabaqu mas, até o momento, não recebeu uma previsão de quando o grupo restante será liberado.

Crise e ajuda de Estados

Com o colapso do sistema de Saúde da capital do Amazonas, pelo menos 150 pacientes foram transferidos para outras regiões do Brasil, em uma operação coordenada pela FAB (Força Aérea Brasileira). O Governador de Minas, Romeu Zema (Novo), chegou a anunciar nas redes sociais que o Estado iria disponibilizar leitos para crianças vindas de Manaus, mas, horas depois, voltou atrás.

Poucos dias depois, o secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, confirmou que o Hospital Regional de Uberaba receberia 12 pacientes vindos do Norte. O número de pessoas precisando de transferência era maior, mas a prefeitura da cidade informou que a instituição só podia comportar parte daquele grupo.

O Prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), afirmou que a cidade tinha separado cinco leitos pediátricos de terapia intensiva na Santa Casa da capital, mas, até o momento, nenhum paciente foi transferido.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Flavia Martins y Miguel

Últimas