Novo Coronavírus

Coronavírus Primeiro dia de volta à "fase zero" da flexibilização fecha 26 comércios 

Primeiro dia de volta à "fase zero" da flexibilização fecha 26 comércios 

Estabelecimentos descumpriam determinação da Prefeitura de BH que voltou a permitir somente os serviços essenciais; duas lojas perderam o alvará 

Comércio não essencial deve permanecer fechado

Comércio não essencial deve permanecer fechado

Divulgação / PBH / Adão de Souza

A Guarda Municipal de Belo Horizonte fechou 26 estabelecimentos comerciais e recolheu o alvará de dois deles, que estavam funcionando de forma irregular na segunda-feira (29), o primeiro dia da volta à "fase zero" da flebilização do comércio na capital mineira.

Os agentes da Guarda Municipal, estiveram em 98 estabelecimentos e constataram que 26 descumpriam as medidas logo nesta segunda-feira. As lojas foram fechadas. Em duas delas, os alvarás foram recolhidos. De acordo com a Prefeitura de BH, o descumprimento das regras pode resultar, ainda, em multa no valor de R$ 17.614,57.

Leia mais: Confira os comércios que podem abrir em BH 

Pressionado pelo aumento da ocupação dos leitos de UTI e da alta na taxa de contágio do novo coronavírus, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) determinou que os estabelecimentos não essenciais voltem a ser fechados durante a pandemia da covid-19.

Conforme boletim divulgado pela Prefeitura de Belo Horizonte, a capital mineira já registra pouco mais de 5.900 casos de covid-19, com 136 óbitos. 

Fiscalização

Desde o início da pandemia, quando, no dia 20 de março, a Prefeitura de BH proibiu a abertura de locais com potencial de aglomeração, a Guarda Municipal realizou 34.585 abordagens de orientação a comércios, empresas e em espaços públicos da cidade.

Neste período, 17.273 estabelecimentos foram fechados e 68 alvarás, recolhidos. As denúncias sobre funcionamento indevido de estabelecimentos ou a existência de aglomerações podem ser realizadas pelo aplicativo PBH App. 

*Estagiária do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli

Últimas