Novo Coronavírus

Saúde Covid-19: Ministério da Saúde contraindica uso de ibuprofeno

Covid-19: Ministério da Saúde contraindica uso de ibuprofeno

Nota autoridades de saúde brasileira foi divulgada dois dias após secretário-executivo da pasta ter negado que anti-inflamatórios agravavam doença

  • Saúde | Do R7

Ibuprofeno poderia agravar casos de covid-19

Ibuprofeno poderia agravar casos de covid-19

Stockvault

O Ministério da Saúde emitiu uma nota técnica, nesta quarta-feira (18), em que orienta profissionais da saúde em relação ao uso do ibuprofeno e outros medicamentos anti-inflamatórios em pacientes com covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus SARS-CoV2) ou em casos suspeitos.

Existem indicativos de que esses remédios poderiam agravar alguns casos de infecção pelo vírus. 

O posicionamento ocorre dois dias após o secretário-executivo da pasta, João Gabbardo, ter afirmado que não havia contraindicação em relação ao ibuprofeno.

"Diante das incertezas e da lacuna de evidências comprovada sobre o tópico, recomenda-se o não uso de Ibuprofeno e outros AINES [anti-inflamatórios não esteroidais, sendo preferível as medicações analgésicas, tais como  paracetamol e dipirona". diz um trecho da nota.

O ministério também diz que "a automedicação nesses casos deve ser expressamente evitada."

Medicamentos para hipertensão

Em relação à suspeita de que medicamentos usados para o tratamento de hipertensão — Inibidores de enzima conversora de angiotensina (IECA) e os bloqueadores de receptores de  angiotensina (BRA) —, o ministério sugere aos médicos que avaliem cada caso.

"De acordo com as evidencias científicas disponíveis no momento da publicação dessa nota e em consonância com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, recomenda-se que os pacientes não interrompam seus tratamentos de medicamentos IECA ou BRA, principalmente sem recomendação médica. A avaliação médica do paciente deve ser individualizada em relação ao risco
cardiovascular da suspensão dos fármacos versus ao risco potencial de complicações pela infecção por SARS-CoV2."

Últimas