Covid: campanha incentiva medir oxigenação por diagnóstico precoce

Projeto vai distribuir oxímetros, que podem agilizar encaminhamento de doentes para cuidados médicos, evitando internação em UTI

Oxímetro pode ajudar em diagnóstico precoce de covid-19

Oxímetro pode ajudar em diagnóstico precoce de covid-19

Amit Dave/Reuters

Na tentativa de reduzir o número de moradores de comunidades vulneráveis que são internados em UTIs e morrem em decorrência do novo coronavírus, a SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia) e o Instituto Estáter lançaram nesta segunda-feira (13) a campanha Alert(ar), que vai distribuir, em uma primeira fase, 104 mil oxímetros para 5 mil municípios brasileiros.

A intenção do projeto, segundo o presidente da SBI, Clóvis Arns da Cunha, é antecipar o possível diagnóstico da covid-19 em idosos ou pessoas do grupo de risco, evitando que eles tenham de ser internados em estágios mais avançados da doença.

Segundo o médico, quando se chega próximo do sétimo dia de contaminação da doença, o paciente começa a apresentar hipóxia (falta de oxigênio no sangue), mas muitos destes casos ocorrem sem a costumeira falta de ar.

Com a aferição constante da oxigenação no sangue, é possível constatar este sintoma mais facilmente e enviar a pessoa diagnosticada para cuidados médicos imediatos. “Quando a pessoa apresenta valores abaixo de 95%, ela deve ser avaliada pelo médico. Com 93% ou menos deve ser internada, mas em quarto. Neste estágio, é possível tratar a covid, com oxigenação por tubos no nariz e com remédios, evitando que se chegue à fase crítica”, comentou Arns.

A intenção da campanha, que conta com apoio de empresas privadas e ONGs, não é distribuir os aparelhos para que as próprias pessoas façam o acompanhamento de sua oxigenação, mas para agentes de saúde ou líderes comunitários treinados.

Como o foco da campanha são as áreas de maior risco, como as comunidades vulneráveis, a SBI recomenda, também, que aqueles que tenham condições façam a compra de oxímetros para que as pessoas possam verificar quando a saturação de oxigênio fica abaixo de 95.

“Medir de duas a três vezes por dia pode ajudar numa detecção precoce da doença. Um oxímetro pode servir para diversas pessoas controlares a oxigenação no sangue", finalizou o infectologista.