Cuba registra surto de coronavírus em abrigo de sem-teto

Das 74 infecções registradas nas últimas 24 horas, 58 vem do centro de acolhimento. Asilo em Havana já tinha sido epicentro da crise no país

Cuba registrou novas 74 infecções no último dia

Cuba registrou novas 74 infecções no último dia

Alexandre Meneghini/Reuters - 1.5.2020

O Ministério de Saúde Pública de Cuba anunciou neste sábado (2) o registro de mais 74 casos de covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, um recorde desde o início da propagação no país, que acumula 1.611 infecções no total.

De acordo o diretor de Epidemiologia do ministério, Francisco Durán, 58 dos novos casos são de pessoas que viviam em um abrigo para atendimento de pessoas sem-teto, no município de Catorro, nos arredores de Havana.

Ontem, já havia sido divulgado pelas autoridades locais que neste local foram registrados 14 casos e uma morte.

A situação no abrigo se junta a outro surto, em um asilo na cidade de Santa Clara, na região central de Cuba, como os dois eventos de transmissão local do novo coronavírus ocorridos na ilha.

Dos novos 74 diagnósticos positivos, 70 são por contato com pessoas que tinham covid-19, segundo as informações do Ministério da Saúde. O contágio dos outros quatro casos ainda estão sendo investigados.

Até hoje, a maior quantidade de novos infectados era de 63, e o número de hoje é mais que o dobro do divulgado ontem, que foi de 36 casos. Além disso, supera a tendência das últimas duas semanas, quando a oscilação era de entre 20 e 50.

Além disso, Cuba registrou mais duas mortes, a de uma mulher de 59 anos, e a de um homem de 87, ambos que tinham doenças crônicas. Com isso, o total de óbitos no país sobre para 66.