Coronavírus

Saúde Eficácia de vacina da Moderna é de 93% após seis meses, diz empresa

Eficácia de vacina da Moderna é de 93% após seis meses, diz empresa

Estudos iniciais chegaram a uma taxa de proteção de 94,1% algumas semanas após a segunda dose do imunizante

Vacina da Moderna utiliza tecnologia de RNA mensageiro

Vacina da Moderna utiliza tecnologia de RNA mensageiro

Joseph Prezioso/AFP

A empresa de biotecnologia norte-americana Moderna informou nesta quinta-feira (5) que a proteção contra casos sintomáticos de covid-19 da vacina desenvolvida por ela se mantém em 93%, muito próximo dos 94,1% observados logo após a vacinação.

Com isto, a vacina da Moderna é a que mais mantém a eficácia mais alta no período. A da Pfizer, que apresentou cerca de 95% de proteção contra casos sintomáticos alguns dias após a segunda dose, apresentou uma redução média para 83,4% depois de seis meses.

"Estamos satisfeitos que nossa vacina contra covid-19 esteja mostrando eficácia durável de 93% por seis meses, mas reconhecemos que a variante Delta é uma nova ameaça significativa, portanto, devemos permanecer vigilantes", afirmou o diretor-executivo da Moderna, Stéphane Bancel, em comunicado ao mercado financeiro no balanço de resultados da empresa no segundo trimestre.

As vacinas da Moderna e da Pfizer utilizam tecnologia de RNA mensageiro e são as que, nos estudos até o momento, conferiram as mais altas taxas de proteção contra a covid-19.

Últimas