Entenda a cirurgia de Bolsonaro para a retirada de pedra na bexiga

De acordo com especialista, o caso do presidente pode ser resolvido com uma cirurgia endoscópica, que é simples e feita sem cortes

Bolsonaro fará cirurgia para retirar pedra na bexiga

Bolsonaro fará cirurgia para retirar pedra na bexiga

Adriano Machado/Reuters/7/09/2020

O presidente Jair Bolsonaro passará por uma cirurgia nesta sexta-feira (25) para a retirada de cálculo na bexiga. A Secretaria Especial de Comunicação não deu detalhes sobre o procedimento, mas ele é considerado simples, de acordo com o urologista Thiago Seiji Carvalho da Silveira, da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Ele explica que o tipo de tratamento realizado depende do tamanho da pedra que o paciente possui. 

O cálculo na bexiga de Bolsonaro é um pouco maior do que um grão de feijão, que possui em torno de 8 milímetros, conforme ele mesmo descreveu. Nesse caso, é possível fazer a retirada com a realização de uma cirurgia endoscópica chamada cistolitotripsia.

O urologista afirma que essa técnica é simples e minimamente invasiva. "Não tem cortes, é uma cirurgia que usa o acesso natural do organismo. Um aparelho chamado cistoscópio entra pela uretra e chega até a bexiga", descreve.

Esse aparelho possui uma câmera -  que permite visualizar o cálculo - e também serve para retirá-lo. "Pode ser removido inteiro ou fragmentado com uma fibra de laser", detalha o médico.

A cirurgia exige anestesia, que pode ser regional (raquidiana) ou geral. Silveira afirma que o processo dura menos de uma hora e o tempo de internação varia entre dois e três dias para a maioria dos pacientes. 

Segundo ele, o risco de complicações é muito pequeno porque a cirurgia endoscópica é simples e os avanços tecnológicos na área da medicina tornaram todos os procedimentos mais seguros,

"O importante é identificar o que causou a formação desse cálculo. Geralmente, essas pedras se formam quando fica algum resíduo de urina na bexiga. Mas há casos em que o problema que desencadeou a formação do cálculo também pode precisar de cirurgia, como a hiperplasia prostática [crescimento da próstata]", destaca.

Durante o pós-operatório, a recomedação é evitar esforços e atividades físicas. "Tende a ser uma recuperação tranquila", observa o especialista.

Leia também: Casos de pedras nos rins sobem 30% no verão e podem não ter sintomas

A cirurgia convencional é indicada quando a pedra é maior que 20 milímetros ou estão presentes em grandes quantidades."É feita uma incisão abdominal baixa. por onde é possível chegar até a bexiga é acessar o cálculo", explica. Silveira. 

O passo a passo da cirurgia que será realizada por Bolsonaro

O passo a passo da cirurgia que será realizada por Bolsonaro

Arte R7