Novo Coronavírus

Saúde Entenda o tratamento que Trump está fazendo contra a covid-19

Entenda o tratamento que Trump está fazendo contra a covid-19

Presidente dos Estados Unidos iniciou tratamento com o medicamento antiviral remdesivir, além de ter recebido anticorpos monoclonais 

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump está com covid-19

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump está com covid-19

Joshua Roberts/Reuters - 1.10.2020

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, 74, que está com covid-19, iniciou tratamento com o medicamento antiviral remdesivir, segundo boletim da Casa Branca divulgado na sexta-feira (2). "Ele completou a primeira dose e está descansando", informou a nota.

O remdesivir foi desenvolvido inicialmente para o tratamento da hepatite C e foi utilizado de forma experimental contra o ebola. Pesquisa em camundongos mostrou que o remédio tinha capacidade de combater a SARS (síndrome respiratória aguda grave) e a MERS (síndrome respiratória do Oriente Médio), doenças provocadas por micro-organismos similares ao SARS-Cov-2.

Leia também: Vacina de Oxford pode ser aprovada até o final do ano

Passou a ser usado para o tratamento da covid-19 depois que um estudo publicado em maio no The New England Journal of Medicine demonstrou a associação do remédio a uma recuperação mais rápida em pacientes graves da doença. Já um estudo publicado em setembro no JAMA (Journal of the American Medical Association) revelou que o remédio não tem a mesma eficácia em pacientes moderados. Apesar dos resultados iniciais positivos, os pesquisadores ressaltam que ainda são necessários mais estudos.

Nos Estados Unidos, o uso do remédio foi autorizado pelo FDA (Food and Drug Administration), órgão que regulamente alimentos e medicamentos, em casos graves. Já no Brasil, o remédio está entre os 32 tratamentos liberados para teste contra a covid-19 pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Além do remdesivir, Trump recebeu outro tratamento em fase experimental com anticorpos monoclonais neutralizantes, segundo também divulgado pelo governo. Ainda em testes, esse tratamento consiste em inserir linfócitos B, células que produzem anticorpos, de pacientes que já tiveram a doença naqueles que estão com a doença para combatê-la.

Ele também teria recebido zinco, vitamina D, famotidina, melatonina e aspirina. A cloroquina, defendida por ele no tratamento da doença, não foi utilizada até o momento, de acordo com dados oficiais.

Últimas