Novo Coronavírus

Saúde Entenda por que a covid-19 faz pessoas pararem de sentir cheiros

Entenda por que a covid-19 faz pessoas pararem de sentir cheiros

Otorrinolaringologista explica que se o olfato não voltar em até 4 semanas após a cura da doença, um médico precisa ser consultado

Pixabay

Um dos sintomas recorrentes para o diagnóstico da covid-19 é a perda de olfato, quando a pessoa infectada pelo novo coronavírus deixa de sentir cheiros.

Segundo o otorrinolaringologista Levon Mekhitarian Neto, do Hospital San Gennaro, em São Paulo, isso acontece porque o vírus provoca um processo inflamatório na mucosa do nariz.

“Esta inflamação faz a pessoa perder as células olfativas que estão no teto nasal, que é onde ficam as terminações nervosas do olfato”, explica. De acordo com o especialista, esse processo inflamatório pode acontecer com qualquer virose responsável por causar gripe ou resfriado.

Ele também explica que, normalmente, a dificuldade de sentir cheiros ocorre após três dias de infecção, ao contrário do que acontece em quadros de covid-19, em que a perda olfativa se manifesta como um dos primeiros sinais da doença. “Ainda não há explicação sobre o porquê de o coronavírus ter essa predileção”, afirma Mekhitarian Neto.

Por que a perda olfativa persiste mesmo após a cura da covid-19?

O otorrinolaringologista explica que a falta de olfato pode durar até quatro semanas após a cura da covid-19. “Se não voltar nesse período, o processo inflamatório pode estar muito intenso e precisa ser tratado com um especialista”, avalia.

De acordo com o médico, a dificuldade em sentir cheiros está diretamente relacionada com a perda do paladar, o que também é um sintoma da doença provocada pelo coronavírus. 

“É importante a pessoa não achar que depois das quatro semanas as sensações vão voltar, tenho pacientes que estão há seis meses sem sentir cheiro e gosto. Se a pessoa demora em buscar ajuda, a perda pode se tornar permanente”, afirma Mekhitarian Neto.

Nesses casos, o especialista explica que o tratamento é realizado com o uso de corticoides, que são administrados tanto por via oral quanto nasal; além de substâncias para estimular o olfato, como café, menta e canela.

Últimas