Entidades vão ao STF para barrar uso da cloroquina contra a covid-19

Autores da ação alegam que é crescente o número de estudos que apontam não haver benefício no uso do medicamento contra a covid-19

Estudos pontam ineficácia da cloroquina contra a covid-19

Estudos pontam ineficácia da cloroquina contra a covid-19

Chris Wattie/Reuters – 12.06.2019

A CNTS (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Saúde) e a Federação Nacional dos Farmacêuticos pediram nesta quinta-feira (28) ao STF (Supremo Tribunal Federal) a suspensão imediata do protocolo do Ministério da Saúde que permite o uso da cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento da covid-19, mesmo para casos leves da doença.

No pedido, segundo nota, os autores argumentam que é crescente o número de estudos que apontam não haver benefício no uso dessa classe de drogas e citam publicação recente da revista The Lancet "apontando a ineficácia do medicamento e o aumento de riscos à vida dos pacientes”.

Leia mais: Procuradoria questiona protocolo de cloroquina da Saúde

Para a advogada Juliana Vieira dos Santos, a medida é necessária, uma vez que todo o protocolo apresentado pelo Ministério da Justiça não encontra respaldo científico.

“Os estudos mais sérios até agora já feitos, seguindo todas as diretrizes médicas e científicas, mostrou que além de não ter eficácia comprovada contra a covid-19, o uso da hidroxicloroquina e da cloroquina pode acarretar no aumento do risco de morte das pessoas que apresentam comorbidades e maior vulnerabilidade à doença”, afirma a sócia do escritório Rubens Naves Santos Jr. Advogados, que assina a peça.

A mudança do protocolo ocorreu após pressão do presidente Jair Bolsonaro e foi uma das causas da saída de Nelson Teich do comando do Ministério da Saúde.