Espanha: Contágios caem e governo fala em 'incêndio controlado'

Estado de emergência por conta do coronavírus deve ser estendido, mas primeiro-ministro Pedro Sánchez já pede 'união para reconstrução'

Coronavírus na Espanha

Trem-hospital: vagões adaptados para receber pacientes de covid-19 na Espanha

Trem-hospital: vagões adaptados para receber pacientes de covid-19 na Espanha

Renfe via EFE-EPA - 8.4.2020

O número de novos casos e de mortes nas últimas 24 horas voltaram a cair na Espanha, um dos países mais afetados da Europa pela pandemia do novo coronavírus, após dois dias de taxas de crescimento diário em ascensão.

Falando ao Congresso nesta quinta-feira (9), em sessão que deve decidir a extensão do estado de emergência até o dia 23 de abril, o primeiro-ministro Pedro Sánchez avaliou a situação como um "incêndio que começa a ser controlado".

- Acompanhe as notícias sobre a pandemia de covid-19 no R7 -

No discurso, Sánchez chegou a dizer que a Espanha encontra-se "perto do pico" da pandemia, que é o momento em que o número de casos para de aumentar e a curva começa, de fato, a cair. Ainda assim, ele pediu que os congressistas aprovem a extensão do estado de emergência, para daí começar um processo lento de relaxamento das regras de isolamento social que estão em vigência.

5.756 novas infecções e 683 mortes em 24 horas

De quarta para quinta-feira, a Espanha teve a confirmação de mais 5.756 pessoas infectadas e houve 683 novas mortes. Os números representam uma queda na taxa de crescimento diário das contaminações e das fatalidades, após dois dias consecutivos de alta, de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde.

No total, a Espanha já diagnosticou 152.446 casos de covid-19. Destes, cerca de 85 mil são considerados "casos ativos", ou seja, as pessoas apresentam sintomas e podem contagiar outras com o vírus. O país registrou 15.338 mortes em decorrência da doença até a manhã da quinta-feira.