Novo Coronavírus

Saúde Especialistas põem em dúvida testes de anticorpos de covid-19

Especialistas põem em dúvida testes de anticorpos de covid-19

Questões como desempenho e custo foram levantadas no Reino Unido; exame que detecta se a pessoa já teve a doença não indica imunidade

  • Saúde | da EFE

Resultado positivo do teste de anticorpos não indica imunidade

Resultado positivo do teste de anticorpos não indica imunidade

Pixabay

Os testes de anticorpos disponíveis para os profissionais de saúde e cuidadores no Reino Unido não são suficientemente confiáveis, alertaram especialistas médicos em uma carta divulgada nesta quinta-feira (25) no British Medical Journal (BMJ).

O governo britânico anunciou no mês passado a aquisição de 10 milhões de testes de anticorpos e pediu às organizações do Serviço Público de Saúde Britânico (NHS), bem como casas de repouso, que os disponibilizassem para seus funcionários.

Leia também: Tosse pode persistir por até seis semanas nos pacientes de covid-19

Os profissionais de saúde também podem solicitar esses testes - que detectam se uma pessoa já teve covid-19 - para pacientes em hospitais e lares para idosos, se considerarem apropriado.

Mas a carta assinada por 14 acadêmicos expressa sua preocupação com aspectos como o "desempenho" desses testes e seu "custo".

"Estamos escrevendo para expressar preocupações sobre aspectos do estabelecimento dos testes SARS-CoV-2 na Inglaterra", afirmam os especialistas.

Como preocupação, eles consideram que seu desempenho não foi avaliado de acordo com o padrão normalmente exigido em um novo teste e apontam que "as implicações nos recursos (dos testes) não foram levadas em consideração".

Os signatários argumentam ainda que um resultado positivo "não indica imunidade".

Saiba mais: Por que não é seguro dar festas, mesmo com todos testados

"O conceito de 'passaporte imunológico', que permite aos profissionais de saúde ou outros trabalharem, não foi estabelecido", alertam eles.

Eles também acreditam que aqueles com um teste positivo de anticorpos devem continuar a se considerados "em risco" e seguir as políticas de controle de infecção para evitar a disseminação nosocomial e o risco de infecção.

Portanto, eles acrescentam que "não há benefício para organizações de saúde ou outras pessoas em saber o status dos funcionários no momento".

Os signatários lembram nessa carta que o "desempenho" dos testes não foi demonstrado e que eles foram oferecidos "a uma taxa sem precedentes e em uma escala sem avaliação adequada, comprometendo a confiança dos cidadãos nos serviços de patologia no futuro".

O governo britânico destaca em seu site que "embora os resultados dos testes de anticorpos não permitam aos cidadãos introduzir mudanças em seu comportamento, como medidas de suavização do distanciamento social, há um claro valor em saber se os trabalhadores do SNS, asilos, pacientes de hospitais e residentes de casas de repouso tiveram o vírus".

Últimas