Coronavírus

Saúde Estudo amplia conhecimento sobre gravidade da Covid-19

Estudo amplia conhecimento sobre gravidade da Covid-19

Pesquisadores espanhóis apresentaram novas descobertas acerca dos biomarcadores presentes em pacientes com quadros severos

Agência EFE
Estudo fornece informações mais completas sobre perfis de pacientes e gravidade da Covid-19

Estudo fornece informações mais completas sobre perfis de pacientes e gravidade da Covid-19

VALDRIN XHEMAJ/EPA/EFE

Apesar do papel fundamental que certos biomarcadores desempenham na resposta inflamatória durante um quadro de Covid-19, existem muitos fatores imunológicos que influenciam o desenvolvimento e o prognóstico da doença que ainda não são totalmente compreendidos.

Um novo estudo do Centro Nacional de Microbiologia do ISCIII (Instituto de Saúde Carlos 3º), na Espanha, acrescenta informação ao assunto.

O trabalho, publicado na revista Frontiers in Immunology, fornece novos dados sobre o comportamento do sistema imunológico em pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2 em fases críticas da Covid-19.

Os autores analisaram o fenótipo de linfócitos B, anticorpos neutralizantes e a reativação do herpes-vírus latente em 61 pacientes com diferentes graus de Covid-19 que foram recrutados em hospitais e centros de atenção primária em Madri durante o primeiro pico pandêmico, entre abril e junho de 2020.

De acordo com o estudo, as pessoas com infecção grave tinham mais anticorpos neutralizantes contra a Sars-CoV-2 do que aquelas com doença leve.

Além disso, os pacientes criticamente enfermos apresentaram altos títulos de anticorpos IgG contra herpes-vírus, o que confirma a hipótese já levantada de que a reação imune e inflamatória em pessoas com Covid-19 grave é acompanhada por uma maior reativação de CMV, EBV, HSV-1 e VZV, entre outros tipos de herpes-vírus.

Em pessoas com doença grave, maior reativação viral no plasma também foi observada, em comparação com formas mais leves de Covid-19, além de diferenças significativas no desenvolvimento de subpopulações de células B. Em pacientes graves, foi detectada citotoxicidade celular dependente de anticorpos (ADCC) defeituosa.

As pessoas com as formas mais graves de Covid-19 que foram admitidas na UTI eram em sua maioria homens e desenvolveram uma resposta humoral potente, conforme demonstrado pelo aumento da população de células B ativadas no sangue com a capacidade de sintetizar altos níveis de neutralização de anticorpos.

No entanto, essa resposta imune aumentada não se traduziu em uma resposta citotóxica eficiente com a capacidade de matar células infectadas por meio de ADCC.

O estudo conclui que esses resultados fornecem um mapa mais completo da reação imune e inflamatória de acordo com os diferentes graus da doença e são úteis para elucidar o manejo clínico desse tipo de paciente.

Últimas