Novo Coronavírus

Saúde Estudo aponta que CoronaVac é eficaz contra variante brasileira

Estudo aponta que CoronaVac é eficaz contra variante brasileira

Pesquisa feita com mais de 67 mil pessoas em Manaus mostra que imunizante tem 50% de efeito após 14 dias da primeira dose

  • Saúde | Do R7, com Estado Conteúdo*

Resumindo a Notícia

  • CoronaVac funciona na prevenção de casos sintomáticos em infectados com cepa de Manaus
  • Estudo com 67 mil agentes de saúde do AM mostrou eficácia 14 dias após a primeira dose
  • Cientistas seguem pesquisa para entender efeito após aplicação da segunda dose da vacina
  • Resultado do estudo pode estimular uso do estoque para aplicar primeira dose imediatamente
Dose da CoronaVac funciona contra variante de AM

Dose da CoronaVac funciona contra variante de AM

Miguel Schincariol/AFP - 30.03.2021

A vacina CoronaVac chega a 50% de eficácia nos casos sintomáticos de covid-19, causados pela variante identificada em Manaus, no Amazonas, após 14 dias da aplicação da primeira dose.

Esse foi o resultado preliminar de um estudo realizado pelo grupo Vebra Covid-19, com 67.718 profissionais de saúde imunizados na capital amazonense, onde a mutação brasileira é predominante.

O estudo é encabeçado pelo médico infectologista Julio Croda, pesquisador da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) e professor da UFMS (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul).

Esse resultado permite a possibilidade de se utilizar os estoques de segunda dose do imunizante feito pelo Butantan, em parceria com a chinesa Sinovac, para vacinar imediatamente quem tem mais de 60 anos de idade, projeta o epidemiologista Wanderson de Oliveira, atual secretário de Serviços Integrados de Saúde do STF (Supremo Tribunal Federal) e que fez parte da equipe do ex-ministro da Saúde Henrique Mandetta.

Oliveira diz que seria possível entrar no inverno com risco menor de nova colapso nos hospitais. Devido à escassez de doses da CoronaVac, o epidemiologista defende ainda que os prefeitos poderiam usar todo o estoque agora e manter 10% para a segunda dose. Em seguida, recomenda aplicar a vacina contra influenza apos 14 dias da primeira dose da CoronaVac.

Esse é a primeira pesquisa que analisa a efetividade da CoronaVac num local em que a variante P.1, como é chamado o vírus que surgiu no Brasil, é predominante.

A partir da próxima semana, os pesquisadores terão resultados da resposta à aplicação da segunda dose da vacina produzida pelo Instituto Butantan. A expectativa é que o resultado seja ainda mais positivo. 

O grupo Vebra Covid-19 foi criado para analisar a eficácia de imunizantes contra a covid-19 no Brasil. Fazem parte dele pesquisadores de instituições nacionais e internacionais e profissionais da Secretaria de Saúde do Amazonas, Secretaria de Saúde de São Paulo, Secretaria de Saúde de Manaus e Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo. 

Os próximos passos do Vebra serão analisar a efetividade da CoronaVac e da vacina de Oxford em idosos nas cidades de Manaus (AM) e Campo Grande (MS), além do estado de São Paulo.

*Com a colaboração de Daniela Salerno, da Record TV

Últimas