Novo Coronavírus

Saúde Estudo francês sugere que nicotina pode prevenir a covid-19

Estudo francês sugere que nicotina pode prevenir a covid-19

Pesquisadores destacam os sérios riscos que o hábito de fumar traz à saúde; plano é testar adesivos em quem tem a doença e profissionais de saúde

  • Saúde | Do R7

Nicotina se fixaria no mesmo receptor celular que o coronavírus

Nicotina se fixaria no mesmo receptor celular que o coronavírus

Reprodução/Twitter/PutnamCountySO

Um estudo feito com 480 pacientes que tiveram resultados de testes positivos para covid-19 em um hospital de Paris, na França, sugere que a nicotina pode ter efeito preventivo contra a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Dentre esses pacientes, 350 foram hospitalizados e os outros 130 voltaram para casa por apresentar sintomas mais leves da doença. Dos hospitalizados, apenas 4,4% eram fumantes. Já entre os que foram liberados, 5,3% fumavam. A média de idade de ambos os grupos foi de 65 e 44 anos, respectivamente.

Os pesquisadores descobriram que o número de fumantes entre os pacientes era muito menor se comparado com a taxa da população em geral. Esse índice fica em 40% para as pessoas na faixa etária de 44 a 53 anos e chega a 11,3% para aqueles entre 65 e 75 anos.

Leia também: Cientistas buscam cura da covid-19 com terapia usada contra câncer

Uma hipótese, levantada para explicar o efeito preventivo da nicotina, é a de que ela se fixa no mesmo receptor que o novo coronavírus usa para grudar nas células humanas, o que impediria a invasão e a disseminação pelo organismo.

Fumar traz sérios riscos à saúde

A partir dessas conclusões, os estudiosos aguardam autorização para dar o próximo passo: testar adesivos de nicotina em pacientes com covid-19 e profissionais da saúde. Entretanto, eles enfatizam que fumar traz sérios riscos à saude e mata metade das pessoas que têm esse hábito.

Leia também: 1 a cada 5 fumantes não sabe que vício dá câncer de pulmão, diz OMS

Além disso, embora a nicotina possa ter esse efeito preventivo, os fumantes que já desenvolveram a covid-19 têm sintomas mais graves por causa do efeito tóxico da fumaça do tabaco nos pulmões.

Últimas