Novo Coronavírus

Saúde Estudo registra queda de 72% de mortes em vacinados com 1ª dose

Estudo registra queda de 72% de mortes em vacinados com 1ª dose

Pesquisa da principal instituição de saúde de Israel com a vacina da Pfizer também mostrou queda de 87% nas internações

  • Saúde | Da EFE

Houve redução de 94% nas infecções sintomáticas em vacinados com duas doses

Houve redução de 94% nas infecções sintomáticas em vacinados com duas doses

Abir Sultan/EFE/01-01-21

Um estudo realizado pela principal instituição de saúde mútua de Israel divulgado nesta quinta-feira e publicado no New England Journal of Medicine (NEJM) mostrou uma redução de 72% nas taxas de mortalidade por covid-19 entre aqueles que receberam a primeira dose da vacina Pfizer pelo menos semanas antes.

O estudo, cujos números foram divulgados há dez dias indicando uma redução de 94% nas infecções sintomáticas entre os vacinados com as duas doses, é um dos primeiros a analisar em profundidade o efeito da primeira dose da vacina.

De acordo com os novos resultados, as internações por covid-19 entre os inoculados com dose única foram reduzidas em 74% após 14 dias de sua administração, enquanto os casos graves foram 62% mais baixos.

Em termos de número total de novas infecções, este mesmo grupo registrou uma queda de 46% em comparação com o grupo de controle, enquanto as infecções sintomáticas devido à doença foram reduzidas em 57%.

Além disso, os pesquisadores também apresentaram dados detalhados sobre a eficácia da vacina em pacientes que receberam ambas as doses por pelo menos uma semana antes.

Além do número já publicado de redução de 94% nas infecções sintomáticas, os resultados mostraram uma queda de 87% nas internações devido à doença. A diminuição no número geral de novas infecções neste grupo foi de 92%.

O estudo, que acrescentou que esses resultados não variam em pacientes de diferentes idades, foi realizado em colaboração com centros acadêmicos e científicos dos Estados Unidos.

A amostra foi composta por cerca de 1,2 milhão de pessoas, metade das quais foram vacinadas entre 20 de dezembro e 1º de fevereiro, enquanto as demais não haviam sido vacinadas na época do estudo e serviram como grupo de controle.

Últimas