Coronavírus

Saúde EUA: FDA recomenda a liberação de uso emergencial da vacina da Pfizer

EUA: FDA recomenda a liberação de uso emergencial da vacina da Pfizer

Medida abre caminho para que a agência norte-americana aprove o uso do imunizante no país; a expectativa é que isso ocorra nos próximos dias

  • Saúde | Do R7

A vacina da Pfizer já está sendo aplicada no Reino Unido deste terça-feira (8)

A vacina da Pfizer já está sendo aplicada no Reino Unido deste terça-feira (8)

John Maniaci/UW Health/via Reuters

Um painel de consultores externos da FDA (Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos) aprovou, nesta quinta-feira (10), a autorização para uso emergencial da vacina da Pfizer contra o coronavírus, abrindo caminho para que a agência autorize o imunizante no país que já perdeu mais de 285 mil vidas para a Covid-19.

Leia também: Paralisia de Bell, entenda o evento adverso de 4 voluntários da Pfizer

É amplamente esperado que a FDA aprove a vacina, desenvolvida pela Pfizer em parceira com a alemã BioNTech, para uso emergencial nos Estados Unidos nos próximos dias.

O comitê considerou, por 17 votos a 4, que os benefícios conhecidos da vacina superam os riscos de tomar a vacina para indivíduos com 16 anos de idade ou mais, com a abstenção de um membro do painel.

A Pfizer pediu que a vacina de duas doses seja aprovada para uso em pessoas entre 16 e 85 anos de idade. Vários membros do painel de aconselhamento discutiram se jovens de 16 e 17 anos deveriam ser incluídos na recomendação, já que o risco da doença para esses indivíduos é baixo, e as evidências no estudo para essa faixa etárias são escassas.

No final, o painel aprovou a questão como foi colocada pela FDA, que incluiu pessoas de 16 e 17 anos.

Saiba mais: AstraZeneca testará combinação de vacina britânica com Sputnik V

A FDA normalmente segue o conselho do seu painel de especialistas, mas não é obrigada a fazê-lo.

O painel também discutiu preocupações levantadas por dois caos de reações alérgicas sérias entre pessoas que tomaram a vacina no Reino Unido, e gastou grande parte da discussão debatendo o plano da Pfizer de oferecer a opção de tomar a vacina a voluntários que receberam um placebo no estudo conduzido pela farmacêutica quando eles se tornarem elegíveis a receberem o imunizante, de acordo com as recomendações estabelecidas pelas autoridades sanitárias e locais.

Últimas