Coronavírus

Saúde EUA recomendam 4ª dose de vacina contra Covid em imunodeprimidos 

EUA recomendam 4ª dose de vacina contra Covid em imunodeprimidos 

CDC diz que aplicação é reforço para pessoas com problemas no sistema imune, já que esquema completo deles é após três doses

  • Saúde | Do R7

Centro de Controle de Doenças dos EUA recomenda 4ª para imunodeprimidos

Centro de Controle de Doenças dos EUA recomenda 4ª para imunodeprimidos

Mario Tama/AFP - 6.7.2021

O CDC (Centro de Controle de Doença dos Estados Unidos) alterou as recomendações para imunizar os imunodeprimidos, pessoas com problemas no sistema imune, e indicou que alguns deles precisarão receber uma quarta dose de vacina contra a Covid-19 seis meses após completar a vacinação primária.

No caso desse público, a imunização completa se dá após a terceira dose e a quarta injeção seria considerada como reforço. Diferente da maioria das pessoas que receberão a dose extra, que a terceira é considerada aumento da proteção.

A mudança da orientação foi feita na última semana de forma discreta, sem divulgar amplamente como feita pelo CDC quando indicou a terceira dose para idosos e imunocomprometidos. 

No mês de agosto, a recomendação era que pessoas com problemas no sistema imune vacinadas com Pfizer ou Moderna, seguissem com a imunização com uma vacina feita a partir de RNA mensageiro. Essa dose extra não foi considerada reforço, mas sim complementação do esquema vacinal. 

Já para a 4ª aplicação, o CDC diz que pode ser pode feita com qualquer uma das vacinas disponíveis nos Estados Unidos, incluindo a da Janssen.

O que dizem os estudos?

Uma pesquisa mostrou que imunodeprimidos não desenvolvem uma resposta imunológica adequada após a vacinação incial. Então, a terceira dose serve para que esse público atinja o mesmo nível de imunidade visto em quem tem sistema imunológico normal após duas doses.

Por sua vez, o estudo fala que o objetivo da quarta injeção é combater a diminuição da imunidade . Teria o mesmo propósito que uma dose de reforço administrada a pessoas sem deficiências imunológicas seis meses após vacinação inicial.

Entre os pacientes imunodeprimidos estão os que fizeram transplantes de órgãos, certos pacientes com câncer e pessoas com HIV.

Últimas