Novo Coronavírus

Saúde Falta de licença de exportação atrasa envio de vacinas do Covax

Falta de licença de exportação atrasa envio de vacinas do Covax

Após Unicef falar sobre atraso de vacinas produzidas na Coreia, Índia também confirma problemas na entrega aos países pobres

  • Saúde | Da AFP

Entrega de doses de vacinas do Covax Facility terão atraso em março

Entrega de doses de vacinas do Covax Facility terão atraso em março

ANDREAS SOLARO/AFP - 24.3.2021

A entrega de vacinas contra a covid-19 aos países pobres por meio do programa Covax Facility vai sofrer um atraso devido à falta de licença de exportação da Índia, anunciou na última quinta-feira (25) a Aliança de Vacinas Gavi, que dirige o programa internacional.

Os fornecimentos "serão atrasados pela falta de licenças de exportação para doses adicionais de vacinas fabricadas pelo Serum Institute da Índia, que deveriam ser enviadas em março e abril", informou à AFP a assessoria da Aliança Gavi, que dirige, ao lado da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Coalizão de Inovações em Preparação para Epidemias (Cepi), o programa Covax para distribuir os fármacos aos países com menos recursos.

O Unicef, que ajuda na compra e na distribuição das vacinas do consórcio, já tinha informado que os atrasos eram previstos, uma vez que houve um aumento grande de casos na Índia, e o Instituto Serum, maior fabricante de vacinas do mundo, estava produzindo para atender às demandas indianas. 

Os países participantes do Covax, entre eles o Brasil, já foram informados sobre a diminuição dos suprimentos. De acordo com o Unicef, não serão entregues todas as vacinas previstas para março da Oxford/AstraZeneca, produzidas na Coreia do Sul.

"Isso se deve aos desafios que a empresa enfrenta para aumentar rapidamente o fornecimento e otimizar os processos de produção para essas entregas antecipadas", informou o Unicef.

Últimas