Farmacêutica do Japão testa células-tronco para tratamento da covid-19

Empresa vai usar elementos do tecido adiposo, que seriam eficazes para neutralizar os efeitos provocados pelo novo coronavírus no organismo

Células-tronco são nova esperança contra covid-19

Células-tronco são nova esperança contra covid-19

Franck Robichon/EFE/EPA - 11.06.2020

Um farmacêutica do Japão está desenvolvendo um novo tratamento com células-tronco para tratar os pacientes com sintomas graves da covid-19. A empresa Rohto prevê iniciar os testes clínicos nas próximas semanas.

A Rohto solicitou permissão da Agência de Medicamentos e Dispositivos Médicos (o equivalente à Anvisa do Japão) para iniciar os testes, que seriam os primeiros até o momento em que as células-tronco são usadas para tratar a doença causada pelo novo coronavírus, informaram fontes do órgão regulador japonês nesta quinta-feira (11) ao jornal Asahi.

A companhia de Osaka (oeste) pretende usar células-tronco mesenquimais, obtidas a partir de tecido adiposo humano, o que seria eficaz para neutralizar os efeitos do vírus no sistema imunológico.

A Rohto vai iniciar testes em culturas de células em laboratório antes de prosseguir com os primeiros testes em humanos, que consistiriam em administrar o tratamento por via intravenosa.

Testes com células-tronco em laboratório devem começar em breve no Japão

Testes com células-tronco em laboratório devem começar em breve no Japão

Diego Azubel/EFE

A empresa vê potencial nas células-tronco para tratar a covid-19 e está confiante na segurança desses tipos de tratamentos em humanos, que já foram testados com sucesso para doenças como cirrose hepática ou insuficiência cardíaca, entre outras aplicações médicas.

A empresa farmacêutica deverá mostrar mais detalhes desse tratamento experimental em uma coletiva de imprensa agendada para 23 de junho.

O Japão é um dos países que lideram pesquisa e desenvolvimento de tratamentos baseados em células-tronco e células de pluripotência induzida (iPS) que, como as primeiras, têm a capacidade de se transformar em qualquer tipo de célula e são consideradas o futuro da medicina regenerativa.