Febre amarela: mais de 1 milhão de pessoas são vacinadas na zona norte

Nesta segunda-feira (4), inicia-se 3ª fase da campanha com ampliação de UBSs

Moradores fazem fila para se vacinar na zona norte
Moradores fazem fila para se vacinar na zona norte Edu Garcia/03.11.2017/R7

Mais de 1 milhão de pessoas foram vacinadas contra a febre amarela na zona norte de São Paulo, atingindo a meta da segunda fase da campanha de vacinação. Desta forma, inicia-se hoje (4) a terceira etapa de imunização com a ampliação de 90 UBSs (Unidades Básicas de Saúde), segundo a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo.

Do dia 21 de outubro até sexta-feira (1º), foram vacinadas 1.028.245 pessoas na região. A terceira fase da campanha tem como meta vacinar toda a população da zona norte, por isso, o total de postos de vacinação será ampliado de 70 para 90. Os postos adicionados nesta etapa ficam nos distritos administrativos da Casa Verde, Pirituba, Limão, São Domingos, Vila Guilherme, Vila Maria e Vila Medeiros, afirma a secretaria.

“Apesar da queda na procura pela dose nas últimas semanas, em comparação ao início da campanha, conseguimos atingir o número de 1 milhão de pessoas vacinadas antes do esperado. Agora, o objetivo é imunizar toda a população da zona norte, o que é essencial para criar um cinturão de proteção para que a doença não se desenvolva”, explica Wilson Pollara, secretário municipal de saúde.

Com a ampliação, as unidades que estavam atendendo em horário especial durante a intensificação da campanha voltam a funcionar no período regular. A lista dos postos e seus respectivos horários de atendimento pode ser conferida no link. As unidades de saúde que já abrem rotineiramente aos sábados continuam vacinando.

Já tomei vacina de febre amarela, devo tomar de novo?

Vacinação na ZN

A ação preventiva na zona norte da capital teve início em 21 de outubro após um macaco do bugio ser encontrado morto no Parque do Horto com febre amarela. Na primeira fase, foram vacinadas 500 pessoas que moram ou trabalham a até 500 metros de distância no entorno do Horto Florestal e do Parque da Canteira. Na segunda fase, a distância foi ampliada para 1 km no entorno dos parques, que devem abrir apenas em janeiro.

Além de acrescentar novos locais de vacinação, a secretaria também estendeu os horários de vacinação durante o período de intensificação da campanha e implementou rodízio para o atendimento aos sábados.

É importante frisar que os casos confirmados são de febre amarela silvestre, que é transmitida através da picada dos mosquitos Haemagogus e Sabethes, comuns em áreas de matas e vegetações à beira dos rios. Já a proliferação urbana da doença, tem como vetor o Aedes aegypti. Não há registro desse tipo de transmissão no Brasil desde 1942.

Ação na zona leste

A medida de prevenção contra a febre amarela também vacinou 8.649 pessoas nos bairros Jardim Francisco e Piratininga, na zona leste da capital, até a última quinta-feira (30). A área fica no entorno do Parque Ecológico do Tietê, onde um macaco foi encontrado morto por febre amarela em novembro. O primata foi localizado em Cajamar, região metropolitana, e chegou doente ao Centro de Recuperação de Animais Silvestres do parque, segundo a pasta.

A vacinação na zona leste continua nas unidades de referência para quem mora nestes bairros, assim como em toda a cidade. Também para quem vai viajar para áreas de risco ou mesmo para áreas de recomendação temporária de vacinação, deve procurar uma unidade de referência que pode ser conferida no link.

A secretaria ressalta que o macaco permaneceu todo o tempo em uma sala de recuperação de animais, isolada por telas tipo mosquiteiras nas janelas, sem circular pelas dependências do parque. Além disso, o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) realiza monitoramento entomológico do parque desde abril deste ano e não foram encontrados os mosquitos Haemagogus e Sabethes, transmissores da febre amarela silvestre.