Coronavírus

Saúde Governo de SP vai enviar 40 respiradores para o Amazonas

Governo de SP vai enviar 40 respiradores para o Amazonas

Estado também quer oferecer leitos em hospitais paulistas para pacientes que possam ser transferidos de Manaus

  • Saúde | Do R7

Manaus vive desde o início da semana um colapso no sistema de saúde por causa da covid-19

Manaus vive desde o início da semana um colapso no sistema de saúde por causa da covid-19

Bruno Kelly/Reuters - 14.1.2020

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou que vai enviar ainda nesta sexta-feira (15) 40 respiradores ao Amazonas para ajudar o governo de lá na crise causada pela explosão de casos de covid-19.

Em entrevista no começo da tarde, Doria informou que os ventiladores mecânicos, desenvolvidos pela  USP (Universidade de São Paulo), serão transportados em um voo da Latam.

Ele também afirmou que o governo paulista trabalha para garantir leitos a pacientes que precisem ser transferidos de Manaus.

"Orientei também o nosso secretário da Saúde em São Paulo a disponibilizar leitos em hospitais públicos e a gerenciar leitos em hospitais privados para aqueles que puderem ser transportados até São Paulo para atendimento prioritário."

Em seu pronunciamento, o tucano voltou a criticar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao dizer que ele tem responsabilidade pelo colapso na saúde amazonense.

"Isso é resultado da política caótica da saúde pública do governo federal. Não é razoável imaginar que uma situação de caos, como vive a capital manauara, seja debitada na conta de um prefeito ou de um governador. Temos um governo federal para quê? Temos um Ministério da Saúde para quê? Para acusar prefeitos e governadores ou para agir em defesa e proteção da saúde e da vida de todos os brasileiros em qualquer parte do país?"

Manaus vive desde o início desta semana um completo colapso hospitalar e funerário.

Nas unidades de saúde, não há espaço e falta oxigênio para atender pacientes com falta de ar provocada pela covid-19. Há relatos de diversas mortes por não haver cilindros de gás.

Nesta sexta-feira, cerca de 150 pacientes começaram a ser transferidos de avião para hospitais de outros estados.

Últimas