Índia gera polêmica ao recomendar gengibre contra o coronavírus

Publicação de um ministério indiano rendeu críticas na internet, já que não existem medicamentos ou vacinas contra o novo tipo de vírus

País confirmou na quinta-feira primeiro caso de coronavírus importado da China

País confirmou na quinta-feira primeiro caso de coronavírus importado da China

Amit Dave/Reuters

O Ministério da AYUSH (Ayurveda Yoga e Naturopatia, Unani, Siddha, Sowa Rigpa e Homeopatia) da Índia, focado na medicina alternativa, emitiu uma recomendação ao público sobre prevenção do novo coronavírus que tem sido alvo de críticas.

Na publicação, o órgão governamental cita vários itens. Em um deles, orienta a população a fazer uma mistura chamada shadanga paniya e "guardar em uma garrafa e beber quando sentir sede".

O "coquetel" inclui água tratada e ingredientes naturais: Zingiber officinale (gengibre), Santalum album (sândalo), Cyperus rotundus (tiririca), Coleus forskohlii (planta nativa da Índia), Fumaria indica (fumaria) e Vetiveria zizanioides (vetiver).

Segundo o governo, o aviso é "baseado nas práticas da medicina indiana tradicional" e tem como objetivo "fortalecer o sistema imunológico por meio de uma dieta saudável e estilo de vida".

Imediatamente, pessoas criticaram a recomendação por não haver comprovação científica de que esse tipo de terapia funcione como prevenção do novo tipo de coronavírus que causa uma epidemia na China.

"O governo da Índia (como sempre) está vendendo porcaria não científica. Ayurveda, homeopatia e unani NÃO são ramos legítimos da medicina e não têm provas materiais para curar ou prevenir tais doenças. Por favor, não engula pílulas de placebo pensando que você estará seguro", escreveu no Twitter uma pessoa.

Não existe um medicamento específico para tratar o vírus e nem vacina. Apenas os sintomas são tratados (se o paciente tem febre, toma antitérmicos; se tem falta de ar, é colocado no oxigênio, etc.).

Leia também: China espera testar vacina contra o coronavírus em 40 dias

Por outro lado, o comunicado do ministério indiano também tem acertos. Recomenda: manter a higiene pessoal e lavar as mãos com água e sabão por ao menos 20 segundos; não tocar os olhos, nariz e boca com as mãos sujas; evitar contato próximo com pessoas doentes; permanecer em casa se estiver doente; cobrir o rosto quando tossir ou espirrar; limpar e desinfetar objetos tocados com frequência.

Na quinta-feira (30), a Índia registrou o primeiro caso do novo coronavírus. A paciente é uma indiana, estudante da Universidade de Wuhan — epicentro da epidemia — que retornou para a Índia recentemente. Ela se recupera bem.

No país vizinho, Mianmar, um ministro de governo foi criticado nas redes sociais após compartilhar uma publicação em que orientava a população a comer mais cebolas para se prevenir contra o vírus.