Doenças aedes
Saúde Janot defende aborto para grávidas com zika

Janot defende aborto para grávidas com zika

Gravidez nessa circunstância é risco à saúde psíquica da mulher, segundo procurador

Janot defende aborto para grávidas com zika

Rodrigo Janot encaminhou parecer ao Supremo Tribunal Federal

Rodrigo Janot encaminhou parecer ao Supremo Tribunal Federal

Agência Brasil

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, defendeu o aborto para mulheres infectadas por zika. A continuidade forçada da gestação nos casos em que há certeza da infecção pelo vírus, segundo ele, representa risco "à saúde psíquica da mulher".

A argumentação foi apresentada em parecer encaminhado ao STF (Supremo Tribunal Federal) sobre ação movida pela Anadep (Associação Nacional de Defensores Públicos), que pede direito à interrupção da gravidez para infectadas pela doença.

Estudo da Fiocruz conclui que pernilongo não transmite zika

Na opinião de Janot, a recomendação não significa "desvalor à vida humana ou à das pessoas com deficiência". Isso porque, diz ele, a decisão será sempre da gestante.

No parecer, a Procuradoria também ponderou que a Anadep não é o autor adequado para ações judiciais que tratem desse assunto.

A Advocacia-Geral da União, na mesma ação, se posicionou contra a interrupção de gravidez para mães com zika.

Em meio à epidemia de zika iniciada no ano passado, o Alto Comissariado de Direitos Humanos das Nações Unidas já pediu às nações afetadas que liberem às mulheres o aborto e métodos contraceptivos.