Novo Coronavírus

Saúde Laboratório tenta aprovar nos EUA spray nasal contra covid

Laboratório tenta aprovar nos EUA spray nasal contra covid

Produto desenvolvido por empresa mexicana tem como base o princípio ativo xilitol, que seria capaz de eliminar o coronavírus

  • Saúde | Da EFE

Spray precisa ser usado várias vezes ao dia

Spray precisa ser usado várias vezes ao dia

Freepik

Um spray de um laboratório mexicano que contém o composto xilitol e que atualmente é vendido no México será apresentado À  FDA (Food and Drug Administration) — agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos — para, se aprovado, poder ser usado contra covid-19.

“Descobrimos em estudos que o xilitol, às vezes combinado com clorfeniramina pulverizada localmente, mata quase 99,7% dos vírus no nariz. Portanto, pode ajudar a reduzir a carga viral de uma pessoa infectada ”, disse o intensivista pneumologista Gustavo Ferrer, na segunda-feira (19), em conferência virtual convocada pela farmacêutica Chinoin.

Além disso, ele acrescentou que "o valor da aplicação de aerossol de xilitol e a influência que eles têm no bloqueio de vírus e bactérias nas narinas, já eram conhecidos", e que com esse pano de fundo, "os pacientes que tratei com este aerossol nasal, em quatro dias foram negativos no PCR [exame molecular para detectar o coronavírus]”.

“Bactérias e vírus têm que entrar no corpo, ou seja, aderir ao aparelho respiratório para poder infectar humanos, o que o xilitol faz é enfraquecer essa capacidade de adesão”, explica o otorrinolaringologista autor de livros sobre o assunto Francisco Javier Saynes .

Os dois especialistas recomendaram esse spray para "prevenir e auxiliar no tratamento do covid-19", pois, segundo Ferrer, se usado várias vezes ao dia para manter limpa a passagem nasal, pode ajudar a prevenir a doença.

Segundo Saynes, o efeito do aerossol “ocorre 25 minutos após a primeira aplicação” e reduz substancialmente a presença do vírus.

O México soma 1,65 milhão de casos confirmados e 141.248 mortes e pretende imunizar todo o pessoal de saúde, cerca de 700 mil, na primeira etapa, e na segunda, cerca de 15 milhões de idosos.

O país, que após o feriado de Natal registrou forte repercussão de casos, busca vacinar seus quase 130 milhões de habitantes com um plano que já está em andamento e cuja conclusão está prevista para março de 2022.

Últimas