Médico chinês que investigava surto de vírus diz que foi infectado

Número de pessoas que adoeceram vítimas do novo coronavírus passa de 300, incluindo 15 profissionais da saúde

Surto começou na cidade de Wuhan

Surto começou na cidade de Wuhan

Reuters

Um médico chinês que estava investigando o surto de um novo vírus no centro da China disse que ele próprio foi infectado.

Wang Guangfa, que chefia o Departamento de Medicina Pulmonar do Primeiro Hospital da Universidade de Pequim, fazia parte de uma equipe de especialistas que visitou Wuhan no início deste mês, onde o vírus surgiu.

"Fui diagnosticado e minha condição é boa", disse Wang à TV a cabo na terça-feira (21), agradecendo às pessoas pela preocupação.

O número de mortos pela cepa de coronavírus semelhante à gripe, que as autoridades confirmaram que pode ser transmitida entre humanos, subiu para seis na terça-feira, com o número de casos relatados acima de 300. Quinze médicos estão entre os infectados.

Leia também: Vírus que infectou centenas na China chega aos Estados Unidos

Wang, que conduziu uma pesquisa sobre a SARS (síndrome respiratória aguda grave), em 2003, disse que estava recebendo tratamento e que receberia uma injeção em breve. Ele não deu detalhes sobre como ele pode ter sido infectado.

"Não quero que todos prestem muita atenção à minha condição", disse ele ao canal.

Wang disse à mídia estatal em 10 de janeiro que o surto parecia estar sob controle, com a maioria dos pacientes apresentando sintomas leves e alguns tendo recebido alta. Ele não pôde ser contatado pela Reuters nesta terça-feira.