Saúde Meditação que ajudou meninos da caverna pode minimizar até bullying

Meditação que ajudou meninos da caverna pode minimizar até bullying

Especialista afirma que técnica, que acalma a mente, pode ajudar a diminuir os efeitos de situações de estresse, entre elas, o bullying, em crianças

meditação para crianças

Meditação contribuiu para evitar desespero e desperdício de energia

Meditação contribuiu para evitar desespero e desperdício de energia

Marinha da Tailândia via Reuters

A meditação teve papel fundamental ao ajudar a manter a calma e a economizar energia no caso dos "meninos da caverna", que ficaram 18 dias presos, com fome, sede e sem ver a luz do sol. 

É o que afirma o médico Marcelo Demarzo, especialista em meditação e coordenador da especialização em mindfulness da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

“Mais calmos, eles conseguiram lidar melhor com o estresse, se envolver menos com a situação desesperadora e ter paciência para esperar a hora de sair", explica.

Nos últimos dias, o mundo acompanhou o final feliz dessa história: os 12 meninos e o técnico de futebol foram resgatados de uma caverna alagada em uma operação considerada de alto risco.

Sem nunca terem mergulhado com máscara e cilindro de oxigênio, os garotos, entre 11 e 16 anos, precisaram aprender as técnicas em tempo recorde para vencer os obstáculos até a saída da caverna.

O sucesso da operação pode ser creditado, além do esforço da equipe de resgate, à capacidade dos meninos de manter a calma - capacidade conquistada pela meditação. 

Leia também: Cristiano Ronaldo usa técnicas de meditação em campo? Descubra

Ekkapol Ake Chantawong, 25, é o técnico de futebol que estava preso junto com os meninos. Praticante da meditação, foi ele que ensinou a técnica para os garotos. 

“Era uma situação complexa e dramática, o fato de o treinador ter ensinado técnicas de meditação para os meninos com certeza ajudou a melhorar aspectos de saúde mental, além de ajudar a gastar menos energia”, afirma Marcelo Demarzo.

Demarzo explica que a meditação ajuda a treinar a mente para que ela se mantenha focada no que realmente importa – no caso, manter a calma e focar na sobrevivência.

Além do psicológico, a meditação age no funcionamento do organismo, gastando menos energia, eles ganharam força para resistir por mais tempo.

O especialista explica que as técnicas atuam em funções vitais como a respiração e a digestão. Essas funções são ativadas pelo sistema nervoso autônomo simpático e desativadas, ou diminuídas, pelo sistema nervoso autônomo parassimpático. “A meditação estimula o sistema parassimpático, que é de economia de energia e funções vitais, e está relacionado à sensação de calma, por exemplo”, diz.

Meditação traz benefícios para adultos e crianças

Meditação traz benefícios para adultos e crianças

Saúde Dica

Meditação em crianças

Marcelo Demarzo explica que a meditação pode ser indicada para qualquer faixa etária. No caso das crianças, é comum que a prática comece a partir dos 7 anos, mas com 5 anos a criança já pode começar a aprender as primeiras técnicas.

“Ao melhorar a atenção e a concentração, a meditação pode fazer com que a criança tenha um melhor desempenho na escola e se relacione melhor com os colegas e professores. Isso pode, inclusive, diminuir os efeitos do bullying ao ajudar a criança a lidar com o estresse”, diz o médico.

A meditação na infância pode trazer benefícios físicos, emocionais e cognitivos.

Físicos porque as crianças adquirem maior consciência corporal, o que ajuda a ter uma postura correta, maior flexibilidade e melhora muscular. Emocional porque as técnicas ajudam a gerir melhor as emoções: o silêncio proporciona maior serenidade.

A meditação também estimula o companheirismo, a amizade e a compaixão, segundo Demarzo. E, por fim, cognitivo porque a melhora na capacidade de atenção ajuda na concentração, estimula a criatividade e aumenta o equilíbrio entre os hemisférios cerebrais, o que faz com que o aprendizado aconteça de forma mais simples e consolidada.

"A meditação pode diminuir os efeitos do bullying ao ajudar a criança a lidar com o estresse”
Marcelo Demarzo, médico especialista em meditação

Ele explica que o treino pode ser feito na escola ou em casa, com a ajuda dos pais. O ideal é que as técnicas sejam passadas para as crianças em tom de brincadeira, como se fosse um jogo.

É importante que os pais – ou adultos que vão orientar a criança na hora da meditação – tenham muita paciência. O aprendizado não é imediato, faz parte de um processo que exige dedicação.

“O mais importante é que a meditação aconteça todos os dias, entre 5 e 10 minutos por dia. A regularidade é fundamental”, ressalta Demarzo.

Veja imagens da operação de resgate de meninos em caverna:

    Access log