Saúde Meninas ficam com pernas paralisadas após tomarem vacina contra HPV no litoral de SP

Meninas ficam com pernas paralisadas após tomarem vacina contra HPV no litoral de SP

OMS informou que este tipo de reação é rara; especialistas dizem que vacina é segura

  • Saúde | Do R7

Menina é internada após tomar vacina

Menina é internada após tomar vacina

Reprodução/Record

Pelo menos dez meninas ficaram com as pernas paralisadas, após tomarem a vacina contra o HPV (papiloma vírus humano), em Bertioga, litoral de São Paulo. Elas tiveram formigamento nas pernas e foram encaminhadas a hospital da região.

Oito já foram liberadas e duas devem continuam internadas e realizarão exames neste sábado (6). Segundo a Prefeitura de Bertioga, o lote de vacinas que as meninas receberam é o mesmo que é dado em outras regiões do Brasil e que não há motivo para preocupação. A Secretaria de Saúde da cidade ainda informou que não vai trocar o lote. A OMS (Organização Mundial da Saúde) informou que esse tipo de reação é rara.

Vacinação contra HPV

A vacina contra o HPV (papiloma vírus humano) faz parte do calendário nacional de imunizações e atualmente está disponível gratuitamente apenas para meninas entre 11 e 13 anos. A segunda dose da vacina começou a ser aplicada no dia 1º deste mês.  A vacinação será feita nos postos de saúde e em escolas públicas e particulares que mostrarem interesse em imunizar suas alunas. A primeira dose foi aplicada em março deste ano.

"Vacina contra HPV é altamente segura", garante especialistaO vírus do HPV é transmitido por meio do contato sexual e responsável pela quase totalidade dos casos de câncer de colo do útero. Segundo o Inca (Instituto Nacional do Câncer), esse é o segundo tumor mais frequente na população feminina, atrás do câncer de mama, e a segunda causa de morte de mulheres por câncer no Brasil.

Últimas