Saúde Ministério aprova plano de combate da tuberculose até 2025

Ministério aprova plano de combate da tuberculose até 2025

Saúde estipulou como meta, até 2025, a redução da incidência da doença para menos de 10 casos em 100 mil habitantes

  • Saúde | Hellen Leite, do R7, em Brasília

Uma das metas é reduzir a incidência da doença para menos de 10 casos para cada 100 mil habitantes

Uma das metas é reduzir a incidência da doença para menos de 10 casos para cada 100 mil habitantes

Prefeitura de Salvador/Divulgação

O Ministério da Saúde publicou nesta quinta-feira (10) a portaria que aprova o Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose, com ações para reduzir a incidência da doença na população. A meta é chegar, até 2025, a menos de dez casos por cem mil habitantes, e o número de mortes a menos de 230 até 2034. Atualmente, a doença atinge 32,4 pessoas por cem mil habitantes no Brasil.

A base do plano, segundo a pasta, será focada no fortalecimento das estratégias de manutenção do diagnóstico, do tratamento e da prevenção da doença como serviços essenciais à população. As recomendações valem para gestores municipais, estaduais e federais para o período entre 2021 e 2025. Após isso, o plano será deverá ser modernizado.

O documento detalha as recomendações para diagnóstico e tratamento das doenças causadas por bactérias; tratamento da tuberculose em crianças, adolescentes e adultos; guia de orientações para a prevenção e diagnóstico em profissionais de saúde; recomendações para manejo da tuberculose/AIDS no sistema prisional durante a pandemia; assistência do enfermeiro na atenção primária; e um guia para registro de pessoas infectadas.

Leia também: Número de mortes por tuberculose aumenta devido à pandemia

O principal sintoma da tuberculose é a tosse por mais de três semanas, com ou sem catarro. Qualquer pessoa com esse sintoma deve procurar uma unidade de saúde para fazer o diagnóstico.

Estão mais vulneráveis à tuberculose indígenas, população privada de liberdade, população em situação de rua - estes devido à dificuldade de acesso aos serviços de saúde e às condições específicas de vida -; além das pessoas vivendo com o vírus HIV.

Segundo o Ministério da Saúde, dentre as pessoas com diagnóstico confirmado de tuberculose, 9,7% apresentaram coinfecção por HIV em 2015.

Últimas