Coronavírus

Saúde Ministério da Saúde distribui mais de 26 milhões de doses aos estados

Ministério da Saúde distribui mais de 26 milhões de doses aos estados

Entrega atinge número recorde e repercute no ritmo acelerado de vacinação, com média de 2 milhões de aplicações por dia

  • Saúde | Do R7

Cerca de 2 milhões de aplicações por dia da vacina contra a covid são feitas no país

Cerca de 2 milhões de aplicações por dia da vacina contra a covid são feitas no país

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O Ministério da Saúde anunciou neste sábado (4) que entregou mais de 26 milhões de vacinas contra a covid aos estados e Distrito Federal, alcançando um número recorde de distribuição. Segundo a pasta, isso repercute no ritmo acelerado da campanha de vacinação, com média de imunização de quase 2 milhões de pessoas por dia.

A marca será atingida com a distribuição de mais de 17 milhões de doses nos próximos dias, ressaltou o ministério por meio de nota. Desde o início da campanha, em janeiro, já foram entregues 253,7 milhões de doses. 

Cerca de 83,4% da população adulta acima de 18 anos já foi vacinada com a primeira dose, o que corresponde a 133,5 milhões de brasileiros. A previsão é que até 15 de setembro 100% desse público tenha recebido a primeira dose, de acordo com o ministério.

"Após essa meta atingida, será possível garantir vacinas para as próximas etapas da campanha, como a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos e a dose de reforço para idosos acima de 70 anos e pessoas imunossuprimidas", informou a pasta por meio de nota. 

O ministério afirma que a distribuição aos estados será feita de acordo com cada necessidade. "Alguns estados receberão mais doses para aplicação da dose 1 e outros serão contemplados com mais lotes para dose 2".

"Todas as decisões sobre a distribuição de vacinas são pactuadas entre representantes da União, estados e municípios. O objetivo da pasta é garantir que todos os estados terminem a vacinação da população acima de 18 anos com a primeira dose em momentos semelhantes, sem prejuízos para a população. Por isso, para calcular a quantidade de vacinas que todos irão receber, a pasta considera a população adulta que ainda não recebeu a primeira dose em cada estado", finalizou.

Últimas