Ministério da Saúde diz que anti-inflamatórios não agravam covid-19

João Gabbardo, secretário-executivo da pasta, afirmou que não há recomendação para que os medicamentos sejam suspensos do tratamento

Ministério da Saúde diz que uso de anti-inflamatório não agrava covid-19

Ibuprofeno é vendido sem receita médica no Brasil

Ibuprofeno é vendido sem receita médica no Brasil

Stockvault

João Gabbardo dos Reis, secretário-executivo do Ministério da Saúde, afirmou nesta segunda-feira (16) que não há evidências científicas que indiquem o agravamentos de infecções no organismo por conta do uso de medicamentos anti-inflamatórios no tramanento dos sintomas da covid-19 (doença causada pelo coronavírus SARS-CoV2)

O secretário ressaltou que não há nenhuma recomendação da pasta para que medicamentos como o Ibuprofeno, por exemplo, deixem de ser administrado em pacientes diagnosticados com o vírus. "O Ministério não está sugerindo a substituição", disse Reis. 

Questionado sobre possíveis riscos relacionados ao uso de captopril e o enalapril, que são indicados no tratamento de hipertensão arterial, Gabbardo foi enfático ao defender que "não há nenhuma evidência científica que justifique qualquer modificação na terapia desses pacientes."

Anti-inflamatórios x coronavírus

No sábado (14), o ministro da Saúde da França, Olivier Véran, pediu à população que não utilize determinados medicamentos anti-inflamatórios no tratamento dos sintomas da covid-19

Veja: R7 apresenta as últimas notícias sobre o novo coronavírus 

Verán, que é médico, afirmou que remédios como ibuprofeno e corticoides podem agravar infecções no organismo e até piorar o quadro de saúde, em casos de pneumonia, por exemplo.

"Em caso de febre, tome paracetamol. Se você já está tomando medicamentos anti-inflamatórios ou em caso de dúvida, pergunte ao seu médico", escreveu no Twitter. 

Arte R7