Ministério da Saúde vê estabilização na curva de novas mortes por covid

Arnaldo Correia de Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde, afirmou que tendência de 'platô' é observada desde a 22ª semana epidemiológica

País é segundo em número de casos de covid-19

País é segundo em número de casos de covid-19

Pixabay

O Ministério da Saúde confirmou uma estabilização na curva de novos óbitos por covid-19 no Brasil. Arnaldo Correia de Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde, afirmou, nesta quarta-feira (8), em Brasília, que a tendência é observada desde a 22ª semana epidemiológica. 

O técnico da pasta, entretanto, ressaltou que o número diário ainda é "muito elevado" e, portanto, estaria diretamente relacionado ao aumento de casos de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave). 

"A gente verifica que ao longo das 22ª, 23ª semana temos pequenas variações para maior ou para menor, mas a curva tende a se manter no que nós chamamos de um platô do número de óbitos. Você verifica que não houve muita variação quando você olha, por exemplo, a média diária de óbitos por semana", disse o secretário de Vigilância. 

Pandemia avança no Sul e no Centro-Oeste

Entre as semanas epidemiológicas 26ª e 27ª, as regiões Sul e Centro-Oeste registraram crescimento de mortes e casos confirmados de covid-19. De acordo com a pasta, "no Sul, houve aumento de 36% nos casos e 27% nos óbitos. Enquanto no Centro-Oeste os casos avançaram 18% e as mortes 22%". 

Já no Norte foi observada uma redução de 15% em casos confirmados e 5% em mortes. No Nordeste, o Ministério da Saúde verificou expansão de 15% no número de infectados e estabilização de óbitos. O Sudeste, que concentra o maior total de doentes no país, aumentou 1% nos casos e redução de 1% nas vítimas fatais.