Novo Coronavírus

Saúde Ministério libera doses para vacinar 2,5 mi de pessoas de 60 a 64 anos

Ministério libera doses para vacinar 2,5 mi de pessoas de 60 a 64 anos

Estão sendo enviadas aos estados vacinas da Fiocruz para garantir imunização de 28,4% dessa faixa etária

  • Saúde | Do R7

Vacinas da Fiocruz serão destinadas a complementar imunização de idosos

Vacinas da Fiocruz serão destinadas a complementar imunização de idosos

Rodolfo Buhrer/Fotoarena/Estadão Conteúdo

O Ministério da Saúde informou, na quarta-feira (21), a liberação aos estados e municípios de 2.527.290 doses da vacina contra covid-19 produzida pela Fiocruz. Este quantitativo será usado integralmente para a primeira vacinação de pessoas entre 60 e 64 anos.

Além disso, a pasta está distribuindo também 511,9 mil doses da CoronaVac destinadas à segunda aplicação em idosos entre 65 e 69 anos.

Também há 116.460 doses de reforço a integrantes de forças de segurança e salvamento e das Forças Armadas. Além de 1.589 vacinas para a primeira dose deste grupo.

Com isto, a previsão do PNI (Programa Nacional de Imunizações) é de já ter concluída a vacinação da faixa etária de 65 a 69 anos, e de 28,4% dos que têm entre 60 e 64 anos.

Os envios de doses para as forças de segurança e salvamento e Forças Armadas foram suficientes para cobrir 18,2% do contingente.

Até agora, 24,9 milhões de pessoas já receberam a primeira dose. Outros 9,2 milhões completaram o esquema vacinal contra a covid-19, segundo dados do Localiza SUS.

Este número, todavia, não representa nem a metade dos 77,2 milhões que integram o grupo prioritário da campanha de vacinação.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou ontem que o término da vacinação da população-alvo deve ocorrer somente em setembro.

O governo conta com a chegada de 1 milhão doses da Pfizer/BioNTech, no mês que vem, para tentar acelerar a vacinação. A expectativa da pasta é receber um total de 15,5 milhões de doses até junho — de um lote de 100 milhões comprados da farmacêutica norte-americana.

Após encerrar a vacinação dos idosos, o programa avança para as pessoas com doenças pré-existentes que podem agravar a covid-19, como diabetes, hipertensão, entre outras. 

A coordenadora do PNI (Programa Nacional de Imunizações), Francieli Fantinato, disse se tratar de um "grupo denso", com cerca de 17 milhões de pessoas.

A determinação do Ministério da Saúde vai ser para que a imunização dessa parcela da população também seja dividida por faixas etárias, dos mais velhos para os mais jovens, começando de 59 a 55 anos. 

Últimas