Novo Coronavírus

Saúde Ministério passa a custear leitos 'intermediários' contra a covid-19

Ministério passa a custear leitos 'intermediários' contra a covid-19

Governo federal vai pagar R$ 467,06 pela diária de cada unidade durante até dois meses da pandemia do novo coronavírus

Agência Estado
Leitos "intermediários" não têm aparato completo de UTI

Leitos "intermediários" não têm aparato completo de UTI

Kai Pfaffenbach/Reuters

O Ministério da Saúde anunciou nesta segunda-feira, 15, que passa a custear o funcionamento de leitos de "suporte ventilatório pulmonar" em Estados e municípios. O governo federal irá pagar R$ 467,06 pela diária de cada unidade durante até dois meses na pandemia do novo coronavírus.

Trata-se de leito "intermediário", pois não tem o aparato de um espaço completo de UTI. A ideia é receber pacientes que ainda não evoluíram para o estado grave, mas necessitam de suporte de oxigênio.

Segundo o Secretário de Atenção Especializada à Saúde, Luiz Otávio Franco Duarte, a ideia com o novo formato de leito é reservar quartos de UTI apenas para pacientes mais graves. Os leitos intermediários podem ser instalados em unidades de saúde mais simples, inclusive hospitais de campanha, disse ele.

Veja mais: Enfermeiras leem cartas nos leitos de UTI para pacientes com covid-19

O leito de suporte ventilatório é mais barato do que quartos de UTI, entre outros motivos, por exigir atuação de equipe menos qualificada de saúde. Para unidades que recebem pacientes em estado crítico, o governo federal repassa diárias de R$ 1.600.

A equipe da Saúde não divulgou quantos leitos neste novo formato espera habilitar. Entre abril e junho, já foram habilitados 8.575 leitos de UTI exclusivos para pacientes do coronavírus que necessitam de internação, o que gerou investimento federal de R$ 1,2 bilhão.

Últimas